Pular para o conteúdo principal

Polícia comprova que Juliana Didone não era atriz de vídeo pornô

Antero Gomes
 
Sorriso perfeito, uma charmosa pintinha do lado esquerdo da boca, loura e de corpo escultural. Esses são alguns dos atributos físicos da atriz Juliana Didone, de 26 anos, eterna musa da série “Malhação”. Inconfundível? Nem tanto. No ano passado, enquanto os telespectadores da novela “Passione” acompanhavam a trama da personagem Lia, último papel de atriz na TV, um público sempre ávido por conteúdo pornográfico disseminava na internet uma outra história, a qual acreditava ser protagonizada por Didone: um vídeo caseiro em que ela supostamente fazia sexo com o namorado.
Era tudo uma grande mentira, comprovada agora por um exame pericial. Segundo a delegada titular da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), Helen Sardenberg, o laudo já ficou pronto e vai ser anexado aos autos da investigação, aberta depois que a atriz denunciou o caso, em julho de 2010.
Exame pericial
Embora fosse vítima, a atriz aceitou se submeter a uma análise de “fotografia sinalética”, método usado pela primeira vez para solucionar casos policiais. Fotografias de Didone foram confrontadas com frames (quadros congelados) do vídeo em que aprece a verdadeira protagonista do sex tape.
— Eu tinha certeza de que não era eu antes mesmo de ver o vídeo. Sei com quem eu me relaciono. Depois que terminei meus relacionamentos, continuei amiga dos meus ex e nunca me filmei fazendo sexo. Até porque acho isso cafona. Não fiquei deprimida, não. Só quis tirar os vídeos da internet porque acho isso ruim — diz Didone.
A atriz conta que só procurou a delegacia cerca de seis meses depois das veiculações na internet porque achou que o caso não tomaria a dimensão que tomou.
Lorrane
Quando o vídeo começou a ser veiculado na rede mundial de computadores, em fevereiro do ano passado, referia-se a um filme caseiro de sexo entre “Lorrane e o seu noivo”. Só depois, devido à alegada semelhança, os internautas começaram a fazer a associação com Didone.
Fora do ar
A delegada titular da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), Helen Sardenberg, diz que, ao longo do inquérito, conseguiu que mais de 20 sites e blogs retirassem o vídeo do ar. Mas muitas páginas na internet, ainda hoje, continuam indevidamente associando o nome da atriz ao filme.
Nesta quinta-feira, quase sete meses após o início das investigações, ao digitar o nome “Juliana Didone” no google, o primeiro status que parece anuncia “suposto vídeo pornô de Juliana Didone”. Na frente até de notícias sobre a carreira da atriz ou fofocas sobre supostos namoricos dela. O EXTRA digitou também a palavra pornô ao lado do nome de Didone. Apareceram 310 páginas.
Segundo Sardenberg, quase todos os sites e blogs de pornografia, embora não tivessem a certeza de que era Juliana Didone nas cenas, estavam se utilizando da confusão para receberem mais acessos:
— Olha a maldade: você entra nesse site, mas o próprio vídeo tem, no título, após o nome da atriz, pontos de interrogação, dando a entender que tanto pode ser ela como não. Então para que colocar? Aí, você entra no site e tem que se cadastrar no clube de vídeos. É um chamariz — diz Helen Sardenberg.
A delegada diz que não é possível identificar quem começou a associar o vídeo ao nome de Juliana Didone. A verdadeira protagonista das cenas calientes também ainda não foi encontrada.

Extraído do site: http://extra.globo.com/casos-de-policia/policia-comprova-que-juliana-didone-nao-era-atriz-de-video-porno-952629.html

Comentários

  1. Eu adoro o trabalho que ele fez Juliana Didone na série O Hipnotizador e agora eu quero ver mais de sua grande obra

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Top 10 ameaças de segurança para 2011

Top 10 ameaças de segurança para 2011

 Dos dez principais ameaças de segurança para 2011, alguns deles até mesmo fazer o bem informado e técnicos mentes fracas nos joelhos. Já este ano, a ameaça número um foi identificado. Pela primeira vez na história da internet, os hackers podem comprar uma cópia registrada de um kit de Malware sofisticados para 99,00 dólares, mas mais sobre essa ameaça abaixo. Em nenhuma ordem particular, estes são os outros nove principais ameaças à segurança para 2011:
O Malware Toolkit: Este Kit Malware inclui todas as ferramentas necessárias para criar e atualizar o malware, bem como assumir o controle de um computador host, além de atualizações e-mail e suporte do produto. Por que isso é como a ameaça? Porque não são necessárias habilidades de codificação, os usuários simplesmente precisam dominar as opções do programa clicáveis e são apresentadas com uma web baseada em Linux exploit usando a mais recente tecnologia de botnets, pronto para implantar.
hacker…

Saiba como o Egito se desligou da web, e o que é feito para furar bloqueio

Internet foi criada para sobreviver a ataque nuclear, mas pode ser 'fechada'.
País tem rede pequena e provedores cooperaram com governo. Altieres RohrEspecial para o G1 Alguns telefonemas. É o que especialistas apostam ter sido suficiente para derrubar a internet no Egito. O país tem poucas das chamadas redes autônomas (AS, na sigla em inglês), que são as pequenas redes que, quando conectadas entre si, formam a internet. Existem ainda menos provedores internacionais que conectam o país. Desconectar o Egito, portanto, não foi difícil.
O Egito possui cerca de 3500 redes, mas apenas seis provedores internacionais.
Os quatro maiores provedores do Egito foram os primeiros a parar suas atividades após o pedido do governo. Os demais acabaram recebendo o tráfego extra, mas logo se viram sobrecarregados e também sob pressão até que o último provedor, Noor, foi desligado nesta segunda-feira (31). O Noor ligava companhias ocidentais à internet e também a bolsa de valores do país, que agora…

Lançamento da coleção "Investigação Criminal Tecnológica"

O delegado de polícia Higor Vinicius Nogueira Jorge lançou a coleção "Investigação Criminal Tecnológica", dividida em dois volumes.

O volume 1 aborda alguns procedimentos práticos de investigação criminal tecnológica, incluindo aspectos essenciais sobre infiltração virtual de agentes na rede mundial de computadores, informações sobre Uber, WhatsApp, Facebook, Twitter, Netflix, PayPal, Ebay, OLX, bem como ferramentas para investigação em fontes abertas e modelos de requisição, auto de materialização de evidências eletrônicas, representação de afastamento de sigilo eletrônico e relatório de investigação. 
O volume 2 oferece informações sintéticas sobre inteligência de Estado e Segurança Pública, incluindo informações sobre a história da inteligência no Brasil e no mundo, conceitos relacionados com Inteligência, Contrainteligência, Elemento Operacional, Doutrina Nacional de Inteligência de Segurança Pública, Metodologia da Produção do Conhecimento e Análise de Vínculos, técnic…