Pular para o conteúdo principal

Você conhece todos os tipos de fraudes eletrônicas?

 O Catálo de Fraudes conhece e é atualizado diariamente.


Alguns especialistas em tecnologia definem a fraude digital como uma “doença social dos novos tempos” mas, os profissionais da Justiça a definem claramente como crime e todos sabemos os volumes de dinheiro ilícito e os prejuízos econômicos gerados pelas fraudes digitais.
Em Outubro passado, uma pesquisa da Dados divulgada pela Kroll, empresa norte-americana de consultoria e gerenciamento de riscos, demonstram que, em 2010, o número de fraudes online ultrapassou o de golpes físicos em 27,3%.
Segundo a Symantec, fabricante de softwares de segurança, o Brasil é o segundo país mais afetado por crimes cibernéticos e cerca de 65% dos usuários que navegam na web já foram prejudicados ou expostos à esses delitos.
Na China, 83% dos internautas já foram expostos ou vítimados por vírus (cavalos de tróia ou phishing), fraudes bancárias e roubo de identidade, o que torna o país o mais visado por golpistas.
Para ajudar a combater esse grande problema, a RNP – Rede Nacional de Ensino e Pesquisa lançou uma ferramenta muito útil e vital para quem se preocupa com a segurança digital, um dos crimes que mais crescem atualmente.
O Catálogo de Fraudes Digitais:
É um  setor do site da RNP que lista um grande arquivo de  todas as fraudes digitais já denunciadas, descobertas e noticiadas com descrição, imagens e todas as informações sobre a fraude que sejam necessárias para que as pessoas as evitem e se defendam desse crescente risco cibernético.
O Sistema chama-se “CAIS” – Centro de Atendimento a acidentes de Segurança que, além de manter o site sempre atualizado ainda edita periodicamente um newsletter com a lista das fraudes mais perigosas e de maior escala.
Também é um excelente manancial e fonte de informações para os profissionais da Justiça pois, além de material de consulta, também noticiam casos onde cada fraude foi utilizada, podendo assim ser utilizada como subsídio informativo na busca de  jurisprudências e informações técnicas processuais.
Além do detalhamento de cada tipo de fraude, o site ainda conta com uma ferramenta de busca por palavras-chave que ajudam a achar o assunto desejado em poucos segundos.
Além de tudo isso, o Catálogo de Fraudes ainda tem uma opção de denúncia e reporte de fraudes que pode ser feita até de forma anônima para as pessoas expostas ou vitimadas possam alertar outros internautas e as autoridades competentes.
Para denunciar, é só enviar um e-mail aos endereços abaixo ou pelo próprio site: http://www.rnp.br/cais/fraudes.php

Conheça mais sobre o Catálogo de Fraudes da RNP, clicando aqui e surpreenda-se com a criatividade de que uma mente criminosa é capaz.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Top 10 ameaças de segurança para 2011

Top 10 ameaças de segurança para 2011

 Dos dez principais ameaças de segurança para 2011, alguns deles até mesmo fazer o bem informado e técnicos mentes fracas nos joelhos. Já este ano, a ameaça número um foi identificado. Pela primeira vez na história da internet, os hackers podem comprar uma cópia registrada de um kit de Malware sofisticados para 99,00 dólares, mas mais sobre essa ameaça abaixo. Em nenhuma ordem particular, estes são os outros nove principais ameaças à segurança para 2011:
O Malware Toolkit: Este Kit Malware inclui todas as ferramentas necessárias para criar e atualizar o malware, bem como assumir o controle de um computador host, além de atualizações e-mail e suporte do produto. Por que isso é como a ameaça? Porque não são necessárias habilidades de codificação, os usuários simplesmente precisam dominar as opções do programa clicáveis e são apresentadas com uma web baseada em Linux exploit usando a mais recente tecnologia de botnets, pronto para implantar.
hacker…

Saiba como o Egito se desligou da web, e o que é feito para furar bloqueio

Internet foi criada para sobreviver a ataque nuclear, mas pode ser 'fechada'.
País tem rede pequena e provedores cooperaram com governo. Altieres RohrEspecial para o G1 Alguns telefonemas. É o que especialistas apostam ter sido suficiente para derrubar a internet no Egito. O país tem poucas das chamadas redes autônomas (AS, na sigla em inglês), que são as pequenas redes que, quando conectadas entre si, formam a internet. Existem ainda menos provedores internacionais que conectam o país. Desconectar o Egito, portanto, não foi difícil.
O Egito possui cerca de 3500 redes, mas apenas seis provedores internacionais.
Os quatro maiores provedores do Egito foram os primeiros a parar suas atividades após o pedido do governo. Os demais acabaram recebendo o tráfego extra, mas logo se viram sobrecarregados e também sob pressão até que o último provedor, Noor, foi desligado nesta segunda-feira (31). O Noor ligava companhias ocidentais à internet e também a bolsa de valores do país, que agora…

Bruxas e charlatães à solta na pandemia

Muito real e pertinente a reflexão do delegado Jorge B Pontes no artigo denominado: "Bruxas e charlatães à solta na pandemia" que reproduzo abaixo e recomendo a leitura.
Bruxas e charlatães à solta na pandemia
Jorge B Pontes

Quase tão terrível como a própria epidemia do covid-19, está sendo a revelação de que somos um país de bruxos, falsos profetas, curandeiros místicos, videntes apocalípticos e analistas de cenários geopolíticos catastróficos, todos aparentemente fugidos de um manicômio.
O curioso é que, quanto mais apedeutas, quanto menos ilustrados cientificamente, mais opinam essas pessoas. Definitivamente as redes sociais abriram as portas do hospício...
Essa gente desvairada, talvez em razão do ócio do isolamento, brotou de todos os lados na crise, sempre com um celular nas mãos e contas ativas no Facebook e Instagram, disparando - ou repassando frenética e automaticamente - posts estapafúrdios, para centenas de grupos de WhatsApp.
Essa usina de fake news é de fato u…