Pular para o conteúdo principal

Cibercrime custa 43,5 bilhões de dólares a britânicos

Segurança

Ataques virtuais são considerados tão perigosos quanto terrorismo

Os crimes virtuais estão gerando um rombo anual de 43,5 bilhões de dólares à economia britânica. A primeira estimativa oficial sobre o cibercrime, publicada nesta quinta-feira pelo Departamento de Segurança Cibernética e da Informação da Grã-Bretanha, mostra que a quantidade de golpes cresceu de forma exponencial nos últimos anos, e que a falta de compreensão de seu funcionamento impede a solução do problema.
O relatório afirma que, em 2010, cerca de 14,7 bilhões de dólares foram perdidos com roubo de propriedade intelectual, 12,16 bilhões com espionagem industrial e 3,5 bilhões com extorsão a grandes companhias. Os setores farmacêutico, biotecnológico, químico e de tecnologia da informação foram os mais atingidos, somando prejuízos de 33,6 bilhões de dólares. Já o governo perdeu cerca de 3,5 bilhões de dólares por causa de fraudes.
No ano passado, o relatório britânico Estratégias de Segurança Nacional avaliou os ciberataques como uma das maiores ameaças enfrentadas pelo país, ao lado do terrorismo, da guerra e dos desastres naturais. Agora, a Grã-Bretanha está investindo quase 1 bilhão de dólares em um novo programa nacional de segurança cibernética.
Os crimes consistem basicamente de invasões e armadilhas criadas para roubar informações pessoais e bancárias de indivíduos e instituições. Alguns são tão sofisticados que conseguem enganar os sistemas de segurança das empresas.
(Com informações da agência Reuters)
Extraído do site: http://veja.abril.com.br/noticia/vida-digital/cibercrime-custa-43-5-bilhoes-de-dolares-a-britanicos

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Palavra de Especialista com Delegado Higor Jorge

Hoje, às 19:00, no programa de estreia "Palavra de Especialista", o diretor da ADPESP Rodrigo Lacordia recebe o delegado de Polícia, professor e palestrante Dr. Higor Vinícius Nogueira Jorge para um bate-papo sobre crimes cibernéticos, além de dicas e informações sobre direito e tecnologia. Assistam a entrevista em: https://youtu.be/p9FF98siWvg e também no Spotify.

Obra com comentários sobre mais de 70 leis criminais tem valor promocional para associados ADPESP - Associação dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo

  A editora Juspodivm lançou a obra “Legislação Criminal Especial Comentada” elaborada por 24 delegados de polícia de todo o país, sendo 14 do estado de São Paulo. A coordenação é dos delegados Higor Vinicius Nogueira Jorge, de São Paulo, Joaquim Leitão Júnior, de Mato Grosso e William Garcez, do Rio Grande do Sul. O livro oferece comentários doutrinários e jurisprudenciais de forma objetiva, sobre mais de 70 leis criminais. Associados ADPESP podem comprar o lançamento com valor especial,  direto no site da editora Juspodivm. O cupom é válido até as 23:59 do dia 21 de maio . Para aproveitar o desconto, utilize o cupom ADPESP. A obra tem chamado a atenção do meio jurídico, sendo escrita pelos seguintes delegados e delegadas de polícia: – Antônio Flávio Rocha Freire – Bruno Fontenele Cabral – Everson Aparecido Contelli – Gabriela Madrid Aquino – Higor Vinicius Nogueira Jorge – Jakelline Costa Barros dos Santos – Joaquim Leitão Júnior – João Paulo Firpo Fontes – Joerberth Pinto Nunes – Kl

Publicado o livro “Direito Penal sob a perspectiva da investigação criminal tecnológica”

POR QUE COMPRAR O LIVRO: DIREITO PENAL SOB A PERSPECTIVA DA INVESTIGAÇÃO CRIMINAL TECNOLÓGICA? O mundo fenomênico sofre, constantemente, influência da tecnologia em sua evolução e no seu aperfeiçoamento. Logo, esse fenômeno repercute, também, no âmbito criminal, visto que os delitos atuais contam com um componente que evolui a cada minuto, qual seja, o tecnológico (informático, inclusive). Assim, os conceitos de vestígio e o de corpo de delito ampliaram-se. Tal fato exige dos investigadores preparação e atualização constantes, visto que o criminoso, no atual estágio, pode voltar ao local do crime até mesmo virtualmente para prejudicar a obtenção de sinais que, em geral, não são mais observáveis de plano ou percebidos materialmente, no sentido tradicional. Trata-se de um desafio e a forma de enfrentá-lo tem na capacitação o suporte necessário. Para tanto, a presente obra, coordenada pelo jovem e competente Delegado de Polícia Higor Vinicius Nogueira Jorge, viabiliza a obte