28.06.2011 | Atualizado em 28.06.2011 – 06:05 CORREIO | O QUE A BAHIA QUER SABER
Victor Longo | Redação CORREIO
victor.longo@redebahia.com.br
Os amantes e defensores do mundo da internet costumam dizer que o caos da rede mundial de computadores é sua principal vantagem. Mas é justamente nesse caos que deitam e rolam os hackers – anônimos, geralmente jovens, que dominam as tecnologias de rede e se aproveitam para protestar, ganhar fama ou até mesmo para cometer crimes como roubar e vender informações para fazer dinheiro.

Depois de ter orkut supostamente invadido, Daniela Cunha promete evitar acessar links em redes sociais
“Inicialmente os hackers eram vistos como jovens que queriam ganhar fama, mas há cinco anos esse estereótipo mudou e os ataques são, em sua maioria, voltados para o ganho financeiro ilegal”, diz Paulo Vendramini, diretor-comercial da Symantec Brasil, empresa de tecnologia em segurança da informação.
Os hackers voltaram a ganhar visibilidade no país na última semana, quando vários sites do governo, como o do IBGE, da Petrobras, de vários ministérios e até da Presidência da República foram alvos dos “piratas da internet”.
Os casos reavivaram no Congresso Nacional projetos de lei que criam legislação específica para os crimes cibernéticos – um deles será votado no Senado amanhã -, e motivaram uma declaração pra lá de polêmica do ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, que ontem chegou a cogitar chamar hackers para trabalhar no ministério.
Cuidados “Mas não é só governos que os cybercriminosos atacam, as pessoas comuns também são presas fáceis”, considerou o delegado Higor Vinicius Nogueira Jorge, professor de análise de inteligência da Academia da Polícia Civil em São Paulo. Ele alerta para cuidados em casa e no trabalho.
“Inicialmente, o usuário deve tomar muito cuidado com os sites que visita e evitar aqueles de procedência duvidosa – como pornográficos, páginas de programas piratas ou que forneçam músicas e vídeos para download”, enumerou o delegado.
Outra dica crucial é ter instalado em seu computador um bom antivírus para evitar, detectar e remover arquivos maliciosos. “É importante manter não só um antivírus, como programas antispyware (que atacam programas espiões, como cavalos de troia) e os firewalls, que criam filtros entre as comunicações de uma rede com outra, evitando invasões no computador”.
Cuidados devem ser tomados com links duvidosos, como os enviados por desconhecidos por e-mail, bem como com as redes sociais, como orkut, facebook e twitter. “Toda informação divulgada nesses meios pode ser aproveitada por criminosos para conseguir dados que os ajudarão nas invasões”, diz o especialista.
Depois de uma suspeita de invasão no seu perfil do orkut, a psicóloga Daniela Cunha promete não marcar bobeira nas redes sociais. “Percebi que no meu perfil constava um acesso numa data na qual eu não tinha mexido no computador. A minha ação imediata foi cancelar o perfil na hora e criar outro”, relatou.
Daniela diz ter vários amigos que já caíram na já conhecida pegadinha dos links que aparecem no espaço para recados do orkut com mensagens suspeitas. “Eu recebo várias mensagens com links falando que tem vídeos e fotos minhas, por exemplo, mas nunca os abro”, explicou a psicóloga.
A recomendação do delegado Higor é nunca clicar nos links, mas digitar o endereço no navegador utilizado.
Higor e Vendramini ainda aconselham que os pais usem programas de controles de acesso para estipular conteúdo que seus filhos acessem. Outra regra que não pode ser ignorada sob nenhuma hipótese é a de nunca fornecer dados sigilosos a desconhecidos, nem mesmo a amigos pela internet.
No ambiente corporativo, a recomendação é que a empresa monitore os acessos dos funcionários e sempre os conscientize. “O empregado precisa saber que ele é o principal instrumento para evitar invasões e o vazamento de informações de uma empresa a criminosos”, explicou o delegado.
CUIDADO COM OS HACKERS!
Antivírus – Instalar um bom antivírus ajuda a detectar, evitar e remover arquivos maliciosos.
Anti-spyware – Programas anti-spyware evitam programas espiões, como os conhecidos “cavalos de troia”.
Firewall – Instalar dispositivos de Firewall ajuda a filtrar comunicações entre redes.
Evitar sites duvidosos- Páginas com pornografia, programas pirata e downloads de vídeo e mp3 devem ser evitados.
Atualizações – Manter seu sistema operacional (Windows) e os programas sempre atualizados e evitar usar os piratas.
Links – Ter cuidado redobrado com os links duvidosos em e-mail e redes sociais. Digite o endereço que pretende visitar, nunca os acesse diretamente.
Sigilo – Nunca fornecer dados sigilosos pela internet em situação insegura.
Empresas – Monitorar acessos dos funcionários e conscientizar empregados.
Pais – Usar programas para controlar acessos dos filhos.
Piratas de olho nos celulares
Outro terreno fértil para a atuação dos hackers são celulares e dispositivos móveis – como notebooks, netbooks, tablets, iPhones, smartphones e outros. “Os nossos estudos mostram que o foco dos criminosos está mudando para os dispositivos móveis, acompanhando os interesses dos usuários e as tendências de mercado”, explicou Paulo Vendramini, diretor-comercial da Symantec Brasil. “Com mais gente usando, os celulares, por exemplo, viram um alvo mais atraente”.
Vendramini chamou atenção para a necessidade de ter cuidado com a utilização do celular. “É muito comum, por exemplo, uma pessoa tuitar ou mandar informações pessoais para as redes sociais pelo celular. Usamos os aparelhos móveis mesmo quando estamos desatentos”, ressaltou. Como medidas de segurança, ele sugere fazer backups de informações e evitar levar laptops para locais pouco seguros, assim como passar o celular por muitas mãos.
Em um estudo recente, a Symantec verificou a vulnerabilidade das plataformas móveis populares. Nos primeiros meses de 2011, essas brechas já foram usadas para infectar centenas de milhares de equipamentos, tanto de uso pessoal como corporativo.
Estudos da empresa de tecnologia Mocana mostram que 47% das organizações não acreditam que sejam capazes de gerenciar adequadamente os riscos introduzidos por dispositivos móveis. O mesmo índice, de 45% das organizações, afirma que a preocupação com segurança é um dos maiores obstáculos ao uso de dispositivos inteligentes.
Extraída do site: http://www.correio24horas.com.br/noticias/detalhes/detalhes-1/artigo/tecnologia-veja-como-evitar-ser-mais-uma-vitima-dos-hackers