sábado, 12 de novembro de 2011

Entrevista sobre crimes cibernéticos na Rede Record


“Segurança na internet” na TV Aparecida

No dia 08 de agosto de 2011 foram entrevistados ao vivo pelo programa Et Cetera da TV Aparecida o perito Fernando de Pinho Barreira (The Perfect Link), o delegado de polícia Higor Vinicius Nogueira Jorge e a advogada Carla Rahal Benedetti.

Na oportunidade eles falaram sobre segurança na internet e crimes cibernéticos.
Assistam a entrevista:

Revista Consulex entrevistou o delegado Higor Jorge

Vulnerabilidades da Rede X Segurança da Informação

O perigo dos Crimes Cibernéticos em Paranaiba - MS

Os crimes cibernéticos representam um grande desafio para os órgãos que promovem a investigação criminal e também para os usuários de internet que, na maioria das vezes, não fazem ideia das ameaças que estão submetidos quando acessam a rede mundial de computadores.

Sob essa perspectiva, no dia 20 de outubro, o curso de direito das Faculdades Integradas de Paranaíba (FIPAR) promoveu a palestra “Crimes Cibernéticos, Investigação Criminal e Segurança da Informação”.

A palestra foi apresentada pelo delegado de polícia Higor Vinicius Nogueira Jorge, especialista na investigação de crimes cibernéticos e fez parte do Ciclo de Palestras de 2011 do curso de direito do referido estabelecimento de ensino.

O delegado Higor Jorge informou que as pessoas devem conhecer os riscos relacionados com a internet e também os principais procedimentos preventivos para a sua utilização com segurança. No decorrer da palestra ele manifestou grande preocupação com os dispositivos móveis que permitem acesso a internet, como por exemplo, os smartphones e os tablets e perguntou se os participantes da palestra utilizavam alguma forma de proteção do dispositivo. Apenas uma minoria das pessoas instalou antivírus no celular, o que mostra que dispositivos móveis estão vulneráveis e podem fazer com que elas se tornem vítimas de crimes eletrônicos.

Delegado falou sobre Crimes Cibernéticos em Votuporanga

Atualizado em 04/11/2011 às 05:30
No último dia 18, a Unifev promoveu a palestra “Investigação de Crimes Cibernéticos e Dignidade da Pessoa Humana” no Fórum Jurídico do Curso de Direito.

Para apresentar a palestra foi convidado o delegado de polícia Higor Vinicius Nogueira Jorge que é especialista na investigação de crimes cibernéticos e tem proferido palestras e cursos sobre o tema em todo o país.

O delegado destacou o elevado número de participantes no evento e disse que todas as pessoas que usam a internet devem ser conscientizadas sobre os riscos que estão submetidas e as principais instrumentos para que a utilização seja segura.

Ele também informou que os órgãos do governo, bem como outras instituições devem investir na educação digital do usuário e na criação de boas práticas na utilização da internet para diminuir a incidência de crimes eletrônicos.

Chamou bastante atenção da plateia alguns casos práticos de e-mails indevidos, conhecidos como “phishing”, que geralmente possuem a finalidade de “pescar” as informações confidenciais da vítima e escondem na maioria dos casos o desejo de obter vantagens indevidas para os criminosos ou produzir prejuízos para as vítimas.
 


Investigação dos crimes eletrônicos foi um dos temas no Seminário da OAB-SP

Investigação dos crimes eletrônicos foi um dos temas no Seminário da OAB-SP
Atualizado em 03/10/2011 às 08:00
A temática investigação de crimes cibernéticos fez parte do ciclo de palestras no II Seminário “Crimes nos Meios Eletrônicos e a Dignidade da Pessoa Humana” realizado pela Comissão Estadual de Crimes de Alta Tecnologia da OAB-SP. A Comissão é presidida pelo advogado Coriolano Aurélio de Almeida Camargo.

Na ocasião o delegado Higor Vinicius Nogueira Jorge, que é membro consultor da Comissão, proferiu a palestra: “Crimes nos Meios Eletrônicos – Os Desafios da Segurança Pública” apresentando aspectos recentes que norteiam a atuação da Polícia Civil diante dos crimes eletrônicos e demonstrou na prática algumas das dificuldades encontradas neste tipo de investigação.

Um dos tópicos da palestra do delegado foi a apresentação de um caso relacionado com pornografia infantil cujo autor do crime não foi identificado em razão do provedor de internet não armazenar os registros, também chamados de logs, de seus clientes. Em razão disso ele defendeu a aprovação da lei que criminaliza condutas praticadas por intermédio de computadores ou praticadas contra estes dispositivos. Essas normas, que tramitam no Poder Legislativo, também determinam que os provedores armazenem os logs de conexão dos seus clientes. Ele explicou que logs de conexão são diferentes de logs de conteúdo e por isso pode-se dizer que não violam a privacidade, pois apresentam apenas dados do IP (internet protocol), além da data, horário, fuso horário e duração da conexão, de modo a permitir que autores de crimes cibernéticos sejam identificados.

O delegado encerrou a palestra dizendo que, assim como a dignidade dos criminosos, não se deve esquecer da dignidade das vítimas destes crimes que deve também ser respeitada. Sob essa perspectiva, a identificação dos cybercriminosos e a efetiva punição desse tipo de criminoso representa um ponto importante na proteção da vítima e da sua dignidade.

A mesa foi presidida pelo perito Fernando de Pinho Barreira da empresa The Perfect Link auditoria de crimes eletrônicos e contou com a participação do advogado Humberto Barrionuevo Fabretti, que proferiu palestra com o título: “Uma Visão a Luz do Direito Comparado”.

A mesa também foi composta pelos delegados de polícia Antônio Lambert e Jorge Ésper da Delegacia de Crimes Cometidos por Meios Eletrônicos do DEIC, pelo delegado da polícia federal Ulisses Prates Júnior e pela advogada Carla Rahal Benedetti.

Também apresentaram palestra no evento o advogado Marco Aurélio Florêncio Filho com o título: “Crimes nos Meios Eletrônicos e a Dignidade da Pessoa Humana” e a advogada Juliana Abrusio Florêncio que discorreu sobre: “Direito do Esquecimento na Internet”. 

Extraído do site: