Pular para o conteúdo principal

Educação e inclusão digital sob a perspectiva da segurança na internet


Emerson Wendt (Delegado de Polícia e professor da Academia de Polícia do Rio Grande do Sul - www.higorjorge.com.br)

Higor Vinicius Nogueira Jorge (Delegado de Polícia e professor da Academia de Polícia de São Paulo - www.higorjorge.com.br)

Muito se tem falado sobre a necessidade de promover a inclusão social das camadas menos favorecidas da sociedade e sobre a importância que “inclusão digital” exerce no desenvolvimento deste processo.
Neste sentido, o Governo Federal tem divulgado que “o Plano Nacional de Banda Larga (PNBL) pretende oferecer internet com velocidade de 1 Mbps com preços a partir de R$ 35 em 4.283 municípios até 2014”[i]. A principal finalidade do PNBL é oferecer, para boa parte da população do país, o acesso à banda larga e, deste modo, permitir a inclusão digital e social deste segmento da população, carente de informações.
Apesar da importância da disseminação da internet para todas as camadas sociais, deve-se considerar também a necessidade de se promover a educação digital da população, para evitar que os usuários de internet sejam vítimas/autores de crimes. Isso se justifica porque não existe instrumento melhor que a prevenção para evitar que usuários de computadores se envolvam com os crimes que acontecem no âmbito cibernético.
A partir do momento que o usuário de internet tem consciência dos riscos que está submetido quando utiliza a internet de forma irresponsável ou sem conhecimentos técnicos mínimos com certeza ele tentará se aprimorar e adotar procedimentos preventivos que diminuam o potencial de sofrer prejuízos ou transtornos oriundos da internet.
Considerando essas questões, é imprescindível que a educação e capacitação dos usuários de computadores (ou de qualquer dispositivo que se conecte à internet) seja amplamente discutida e implementada por órgãos do governo, ONGs, estabelecimentos de ensino e a sociedade como um todo.
Em razão de crianças e adolescentes, que usam a internet, ser considerados vulneráveis perante estas ameaças é imperioso que uma disciplina que aborde o tema “Segurança na Internet” seja criada e colocada à disposição para os alunos do ensino fundamental e médio.
Esta disciplina apresentaria informações sobre a segurança na utilização de redes sociais, e-mails, sites, blogs, leilões virtuais, comunicadores instantâneos, webcams, salas de bate papo, transações bancárias, comércio eletrônico, dentre outros recursos.
Para finalizar concluímos que é importante investir na massificação da internet “banda larga”, porém os novos usuários de internet, que não estão preparados para a sua utilização com segurança, devem ser alertados para tanto. Em uma comparação, mesmo que grotesca, seria como entregar uma casa, porém sem portas, janelas e qualquer meio de segurança dos bens internos. Daí, podem advir efeitos funestos.
Finalizando, além da educação digital, outro problema que deve ser enfrentado com seriedade é o fato de não existir lei específica para os crimes eletrônicos e que determine o armazenamento dos registros sobre a conexão de internet do usuário como medidas direcionadas a tornar a internet um instrumento mais seguro e benéfico para seus usuários. A sociedade deve cobrar de seus legisladores a aprovação de medidas legais que a proteja, tal qual são os Projetos de Lei que tipificam como crime determinadas condutas praticadas em âmbito virtual/eletrônico.
________________________________________
[i] G1. PNBL deve chegar a 150 cidades em 2011, diz presidente da Telebrás. Disponível
em: <http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2011/09/pnbl-deve-chegar-150-cidades-em-2011-diz-presidente-da-telebras.html>. Acesso em: 01 out. 2011.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Palavra de Especialista com Delegado Higor Jorge

Hoje, às 19:00, no programa de estreia "Palavra de Especialista", o diretor da ADPESP Rodrigo Lacordia recebe o delegado de Polícia, professor e palestrante Dr. Higor Vinícius Nogueira Jorge para um bate-papo sobre crimes cibernéticos, além de dicas e informações sobre direito e tecnologia. Assistam a entrevista em: https://youtu.be/p9FF98siWvg e também no Spotify.

Obra com comentários sobre mais de 70 leis criminais tem valor promocional para associados ADPESP - Associação dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo

  A editora Juspodivm lançou a obra “Legislação Criminal Especial Comentada” elaborada por 24 delegados de polícia de todo o país, sendo 14 do estado de São Paulo. A coordenação é dos delegados Higor Vinicius Nogueira Jorge, de São Paulo, Joaquim Leitão Júnior, de Mato Grosso e William Garcez, do Rio Grande do Sul. O livro oferece comentários doutrinários e jurisprudenciais de forma objetiva, sobre mais de 70 leis criminais. Associados ADPESP podem comprar o lançamento com valor especial,  direto no site da editora Juspodivm. O cupom é válido até as 23:59 do dia 21 de maio . Para aproveitar o desconto, utilize o cupom ADPESP. A obra tem chamado a atenção do meio jurídico, sendo escrita pelos seguintes delegados e delegadas de polícia: – Antônio Flávio Rocha Freire – Bruno Fontenele Cabral – Everson Aparecido Contelli – Gabriela Madrid Aquino – Higor Vinicius Nogueira Jorge – Jakelline Costa Barros dos Santos – Joaquim Leitão Júnior – João Paulo Firpo Fontes – Joerberth Pinto Nunes – Kl

Lançamento de livros coordenados por Higor Jorge em São Paulo - Matéria do site da ADPESP

O restaurante da sede será palco do lançamento de três obras: “Manual de Educação Digital, cibercidadania e prevenção de crimes cibernéticos”, “Direito Penal sob a perspectiva da investigação criminal tecnológica”, do delegado Higor Jorge, e “Manual de investigação digital”, do delegado Guilherme Caselli. O evento acontece nesta quinta-feira, 12, de 12h às 15h, com a presença dos autores. Os associados ADPESP poderão adquirir as obras lançadas com valor promocional. Outros títulos Além das obras lançadas, também estarão disponíveis aos associados com valor promocional os livros “Manual de Interceptação Telefônica e Telemática”; “Fake News e Eleições – O Guia Definitivo”; “Enfrentamento da Corrupção e Investigação Criminal Tecnológica”; “Tratado de Investigação Criminal Tecnológica” e “Legislação Criminal Especial Comentada” . AUTORES: ANTÔNIO CARLOS CÂNDIDO ARAÚJO BRENO EDUARDO CAMPOS ALVES CAIO NOGUEIRA DOMINGUES DA FONSECA DÁRIO TACIANO DE FREITAS JÚNIOR DENIZE DOS SANTOS