domingo, 16 de setembro de 2012

Fail: dados roubados pelo AntiSec eram do PC de um agente especializado em crimes digitais


Agente especial do FBI já havia até mesmo participado de campanhas para recrutamento de hackers.
Por Lucas Karasinski em 4 de Setembro de 2012

Você já deve ter lido aqui no Tecmundo a notícia de que o grupo hacker AntiSec conseguiu roubar do computador de um agente do FBI os dados e registros de aproximadamente 12,3 milhões de usuários da Apple. O fato é que o caso não acaba por aí, pois agora surgiram outras informações muito curiosas sobre o assunto.
Eis que o profissional que teve o notebook invadido pelo grupo foi ninguém menos do que Christopher K. Stangl, um agente especial que, em 2009, também fez um “bico” como garoto-propaganda do FBI em uma campanha para recrutar hackers para trabalhar para a agência.
No vídeo que foi produzido e distribuído na época, Stangl se apresenta como um agente especial que trabalha no combate ao cibercrime e diz que agora, mais do que nunca, o FBI precisa da ajuda daqueles que são especialistas no assunto. O caso acabou dando uma sobrevida ao filme publicitário – e, de acordo com o Slashgear, muitos comentários criticando o agente têm surgido nas redes sociais nos Estados Unidos.
O fato é que o profissional se mostrou mesmo um tanto amador. Isso porque o grupo AntiSec diz ter utilizado uma espécie de explorador remoto que os permitiu acessar os arquivos gravados na área de trabalho do notebook de Christopher, um Dell Vostro.
Ali, os hackers encontraram, com mais facilidade do que eles provavelmente jamais poderiam imaginar, todas aquelas informações pessoais de mais de 12 milhões de pessoas, incluindo nomes completos, telefones, endereços e muito mais.
Fonte: Slashgear

Leia mais em: http://www.tecmundo.com.br/ataque-hacker/29470-fail-dados-roubados-pelo-antisec-eram-do-pc-de-um-agente-especializado-em-crimes-digitais.htm#ixzz26gvDiefN


Delegado lança livro e fala na ACIJ sobre crimes pela internet‏


Atualizado 37/08/2012 às 14h00

Os empresários e a população em geral devem ficar cada vez mais atentos para não caírem nos golpes praticados pela internet. No que se refere ao comércio, esses golpes vem aumentando, com furtos de dados das empresas, clonagem de cheques e de cartões de créditos dos clientes e outras práticas criminosas, muitas vezes causando prejuízos aos donos de lojas.

A afirmação foi feita pelo presidente da ACIJ e do Sincomércio de Jales, Alexandre Rensi, no encerramento da palestra do delegado de polícia de Santana da Ponte Pensa, Higor Vinícius Nogueira Jorge, na última quinta-feira, dia 30, à noite, no anfiteatro da associação. Ele falou para os empresários e convidados durante o lançamento do seu livro “Crimes Cibernéticos – Ameaças e Procedimentos de Investigação”, que escreveu em parceria com o delegado Emerson Wendt, do Rio Grande do Sul.

Higor disse que o aumento desses golpes e outros crimes virtuais estão levando a algumas mudanças na legislação, inclusive no Código Penal, para que se aprovem mais leis em defesa da população. Existe um trabalho muito importante, segundo ele, de mobilização da sociedade, inclusive para que sejam aprovadas leis que criminalizem a invasão de computadores e outras ações que causam transtornos e constrangimentos para os usuários da internet.

Ao mesmo tempo, os advogados, a polícia, o Ministério Público, a magistratura e outros órgãos relacionados com a justiça têm procurado se especializar nesse sentido. Daí a sua contribuição e do seu colega gaúcho para suprir essa busca de informações. Ele informou que o seu livro é a primeira publicação em português que ensina os caminhos para a investigação desses crimes.

Higor explicou que a polícia tem condições de investigar esses golpes e difamações contra os internautas, como já vem fazendo com muito sucesso. As vítimas precisam apenas apresentar suas denúncias, para serem apuradas. Quem preferir, também pode se utilizar do site cert.br que aceita notificações de incidentes virtuais.

No livro, Higor e Emerson ensinam usar a internet com segurança, descrevem as principais ameaças via computador e explicam como as vítimas desses crimes devem proceder, envolvendo a polícia e a justiça, para se chegar aos criminosos.

Extraído do site: http://www.maisinterativa.com.br/noticias.php?id=2693