Pular para o conteúdo principal

Fail: dados roubados pelo AntiSec eram do PC de um agente especializado em crimes digitais


Agente especial do FBI já havia até mesmo participado de campanhas para recrutamento de hackers.
Por Lucas Karasinski em 4 de Setembro de 2012

Você já deve ter lido aqui no Tecmundo a notícia de que o grupo hacker AntiSec conseguiu roubar do computador de um agente do FBI os dados e registros de aproximadamente 12,3 milhões de usuários da Apple. O fato é que o caso não acaba por aí, pois agora surgiram outras informações muito curiosas sobre o assunto.
Eis que o profissional que teve o notebook invadido pelo grupo foi ninguém menos do que Christopher K. Stangl, um agente especial que, em 2009, também fez um “bico” como garoto-propaganda do FBI em uma campanha para recrutar hackers para trabalhar para a agência.
No vídeo que foi produzido e distribuído na época, Stangl se apresenta como um agente especial que trabalha no combate ao cibercrime e diz que agora, mais do que nunca, o FBI precisa da ajuda daqueles que são especialistas no assunto. O caso acabou dando uma sobrevida ao filme publicitário – e, de acordo com o Slashgear, muitos comentários criticando o agente têm surgido nas redes sociais nos Estados Unidos.
O fato é que o profissional se mostrou mesmo um tanto amador. Isso porque o grupo AntiSec diz ter utilizado uma espécie de explorador remoto que os permitiu acessar os arquivos gravados na área de trabalho do notebook de Christopher, um Dell Vostro.
Ali, os hackers encontraram, com mais facilidade do que eles provavelmente jamais poderiam imaginar, todas aquelas informações pessoais de mais de 12 milhões de pessoas, incluindo nomes completos, telefones, endereços e muito mais.
Fonte: Slashgear

Leia mais em: http://www.tecmundo.com.br/ataque-hacker/29470-fail-dados-roubados-pelo-antisec-eram-do-pc-de-um-agente-especializado-em-crimes-digitais.htm#ixzz26gvDiefN


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Top 10 ameaças de segurança para 2011

Top 10 ameaças de segurança para 2011  Dos dez principais ameaças de segurança para 2011, alguns deles até mesmo fazer o bem informado e técnicos mentes fracas nos joelhos. Já este ano, a ameaça número um foi identificado. Pela primeira vez na história da internet, os hackers podem comprar uma cópia registrada de um kit de Malware sofisticados para 99,00 dólares, mas mais sobre essa ameaça abaixo. Em nenhuma ordem particular, estes são os outros nove principais ameaças à segurança para 2011: O Malware Toolkit: Este Kit Malware inclui todas as ferramentas necessárias para criar e atualizar o malware, bem como assumir o controle de um computador host, além de atualizações e-mail e suporte do produto. Por que isso é como a ameaça? Porque não são necessárias habilidades de codificação, os usuários simplesmente precisam dominar as opções do programa clicáveis e são apresentadas com uma web baseada em Linux exploit usando a mais recente tecnologia de botnets, pronto para implantar. hacke

O perigo do ‘leilão de centavos’

Advogado especialista em segurança da informação denuncia as fraudes que levam internautas a perder dinheiro em sites Cristina Camargo Agência BOM DIA Atenção: ao não resistir à tentação e entrar em sites que promovem os “leilões de centavos”, você pode ser enganado e perder dinheiro . É o alerta do advogado José  Milagre, de Bauru, especializado em segurança da informação. “Em análise acerca da autenticidade de alguns sites, identificamos que, descaradamente e incrivelmente, os vencedores são sempre os mesmos – e estes usuários, na verdade, não existem”, escreveu no site Olhar Digital, em artigo que ganhou repercussão entre os internautas . Quem participa desses leilões compra créditos pré-pagos  para lançar à vontade nos produtos. Mas, segundo Milagre, grande parte desses endereços eletrônicos divulga informações falsas aos usuários. “Na verdade, [os sites] não estornam os créditos e alguns sequer permitem que os créditos sejam utilizados para a compra de outras mercadorias,

Polícia Federal cria ferramentas para combater a pornografia infantil

A Polícia Federal (PF) investe em tecnologias inovadoras no combate a pornografia infantil na Internet. Operações como Tapete Persa, Laio, Turko, e Carrossel I e II resultaram na prisão de diversos pedófilos nos últimos três anos. Uma das armas mais recentes nessa luta, o software NuDetective, desenvolvida por dois peritos do Mato Grosso do Sul, consegue identificar a presença de material com pornografia infantil em computador suspeito. A ferramenta foi apresentada na VII Conferência Internacional de Perícias em Crimes Cibernéticos (ICCyber 2010). O perito criminal federal e chefe do Serviço de Perícias em Informática da PF, Marcos Vinicius Lima, explica que o combate a pedofilia tem se intensificado com o aumento no número de prisões a cada ano: “somente na ultima ação prendemos mais de 20 suspeitos. Essas ferramentas deram efetividade ao trabalho da polícia”, afirmou. O NuDetective funciona por meio do reconhecimento automatizado de assinaturas de arquivos