Pular para o conteúdo principal

Nana Gouvêa tem Facebook bloqueado


Depois de ser reconhecida mundialmente com as fotos que fez posando nos destroços do furacão Sandy em Nova York, a modelo teve seu perfil no Facebook bloqueado.

A modelo estava com o marido, o produtor musical americano Carlos Keyes, indo para Miami, quando, ao tentar acessar seu perfil na rede social, descobriu que não tinha mais acesso a sua página. "Eles bloquearam meu perfil por uma semana. Alguém mandou uma foto do meu rosto ao Facebook dizendo que era de conteúdo pornográfio. Estou muito triste com tudo isso", disse Nana dos EUA.

Abalada emocionalmente com a repercussão negativa que seu ensaio nos destroços estão tendo, Nana chorou ao contar como foi a entrevista que deu nesta sexta-feira, 2, ao programa "Inside Edition", da CBS, a Paul Body.

Depois de conversar durante uma hora com o apresentador, Nana disse que colocaram no ar apenas três frases ditas por ela e a "trucidaram". "Disseram que eu tripudiei em cima da desgraça alheia, coisa que eu jamais faria na vida! Tenho um coração bom. Não sou capaz de reclamar quando sou injustiçada, simplesmente me calo.

Não sou essa pessoa. Estou muito chateada", disse chorando.Apesar dos ataques contra ela pelos sites internacionais, Nana disse que não pretende abandonar o país e voltar para o Brasil. "Não vou abandonar minha felicidade. Carlos é um homem bom, que me ama e eu o amo.

Não vou abaixar minha cabeça por uma coisa que não fiz de maldade. Não tive a intenção de pisar em ninguém!".As fotos de Nana Gouvêa nos destroços do furacão Sandy também viraram paródias na internet.

Elas aparecem em montagens entre sobreviventes da bomba de Hiroshima, do tsunami no Japão, no naufrágio do Titanic e nas enchentes na região serrana no Rio, entre outras tragédias.

Fonte: EGO

Extraído do site: http://www.odebate.com.br/famosos/nana-gouvea-tem-facebook-bloqueado-04-11-2012.html 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Palavra de Especialista com Delegado Higor Jorge

Hoje, às 19:00, no programa de estreia "Palavra de Especialista", o diretor da ADPESP Rodrigo Lacordia recebe o delegado de Polícia, professor e palestrante Dr. Higor Vinícius Nogueira Jorge para um bate-papo sobre crimes cibernéticos, além de dicas e informações sobre direito e tecnologia. Assistam a entrevista em: https://youtu.be/p9FF98siWvg e também no Spotify.

Obra com comentários sobre mais de 70 leis criminais tem valor promocional para associados ADPESP - Associação dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo

  A editora Juspodivm lançou a obra “Legislação Criminal Especial Comentada” elaborada por 24 delegados de polícia de todo o país, sendo 14 do estado de São Paulo. A coordenação é dos delegados Higor Vinicius Nogueira Jorge, de São Paulo, Joaquim Leitão Júnior, de Mato Grosso e William Garcez, do Rio Grande do Sul. O livro oferece comentários doutrinários e jurisprudenciais de forma objetiva, sobre mais de 70 leis criminais. Associados ADPESP podem comprar o lançamento com valor especial,  direto no site da editora Juspodivm. O cupom é válido até as 23:59 do dia 21 de maio . Para aproveitar o desconto, utilize o cupom ADPESP. A obra tem chamado a atenção do meio jurídico, sendo escrita pelos seguintes delegados e delegadas de polícia: – Antônio Flávio Rocha Freire – Bruno Fontenele Cabral – Everson Aparecido Contelli – Gabriela Madrid Aquino – Higor Vinicius Nogueira Jorge – Jakelline Costa Barros dos Santos – Joaquim Leitão Júnior – João Paulo Firpo Fontes – Joerberth Pinto Nunes – Kl

Publicado o livro “Direito Penal sob a perspectiva da investigação criminal tecnológica”

POR QUE COMPRAR O LIVRO: DIREITO PENAL SOB A PERSPECTIVA DA INVESTIGAÇÃO CRIMINAL TECNOLÓGICA? O mundo fenomênico sofre, constantemente, influência da tecnologia em sua evolução e no seu aperfeiçoamento. Logo, esse fenômeno repercute, também, no âmbito criminal, visto que os delitos atuais contam com um componente que evolui a cada minuto, qual seja, o tecnológico (informático, inclusive). Assim, os conceitos de vestígio e o de corpo de delito ampliaram-se. Tal fato exige dos investigadores preparação e atualização constantes, visto que o criminoso, no atual estágio, pode voltar ao local do crime até mesmo virtualmente para prejudicar a obtenção de sinais que, em geral, não são mais observáveis de plano ou percebidos materialmente, no sentido tradicional. Trata-se de um desafio e a forma de enfrentá-lo tem na capacitação o suporte necessário. Para tanto, a presente obra, coordenada pelo jovem e competente Delegado de Polícia Higor Vinicius Nogueira Jorge, viabiliza a obte