Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2013

Pentágono revê regras de intervenção contra crimes cibernéticos

France Presse
WASHINGTON, 27 Jun 2013 (AFP) - As Forças Armadas dos Estados Unidos estão revendo suas 'regras de intervenção' para enfrentar a crescente ameaça dos ataques cibernéticos, disse nesta quinta-feira o chefe do Estado-Maior Conjunto, general Martin Dempsey. 'O Departamento da Defesa desenvolve procedimentos de emergência para guiar nossa resposta frente às ameaças cibernéticas iminentes e importantes', afirmou Dempsey, em discurso na Brookings Institution, um centro de estudos e pesquisas com sede em Washington. Dempsey, o oficial americano de mais alto escalão, explicou que a decisão foi tomada em resposta ao aumento dos ataques virtuais. 'Estamos atualizando nossas regras de intervenção no âmbito da cibernética, pela primeira vez em sete anos', acrescentou, ressaltando que, desde que assumiu o cargo em 2012, 'as invasões nas nossas infraestruturas críticas aumentaram 17 vezes'. Nos próximos quatro anos, as Forças Armadas pretendem incorpor…

Crimes na internet: Latino-americanos chegaram tarde à questão

Estadão
Além do combate aos crimes violentos, a segurança dos cidadãos também está ligada à prevenção de ataques no ciberespaço.
Numa região em que o tema da segurança cibernética domina as agendas de todos os países, pouca atenção tem sido dada a outro tipo de crime silencioso que está se tornando rapidamente uma das maiores ameaças para cidadãos, empresas e governos. E na América Latina, com 40% da população online, qualquer pessoa com um computador ou um smartphone é uma vítima em potencial.
Países como Brasil e Colômbia montaram operações de defesa cibernética em suas Forças Armadas. As unidades policiais estão mais atentas aos crimes da internet. Entretanto, ainda estão muito longe de poder contar com uma capacidade de defesa hemisférica nesse campo, que é tão importante quanto qualquer outro relativo à segurança dos indivíduos na preservação do crescimento econômico e da competitividade.
A América Latina e o Caribe são um rico terreno de caça para as gangues especializadas de c…

Projeto do CPqD desenvolve proteção contra crimes cibernéticos no celular

A pesquisa conta com R$ 18 milhões de reais do governo federal
Repórter: Proteção contra crimes cibernéticos no celular. É o que está sendo desenvolvido em um projeto do Centro de Pesquisa em Telecomunicações, o CPqD. A proposta conta com R$ 18 milhões do Funttel, o Fundo para o Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações. No projeto, os pesquisadores montaram uma espécie de incubadora de vírus. Eles isolaram os artefatos maliciosos, que invadem a privacidade do consumidor nos dispositivos móveis, e montaram um banco com esses softwares. Eles ficam numa rede isolada e são observados de perto. Os pesquisadores analisam como os vírus se comportam e constroem mecanismos de defesa. Tudo para garantir a segurança do usuário, como explica o coordenador do projeto, Alexandre Braga.
Alexandre Braga, coordenador do projeto: O projeto visa desenvolver uma série de tecnologias de proteção para dispositivos móveis. É tanto proteção da comunicação propriamente, que precisa ser sigilosa, crip…

Um em cada cinco russos já foi roubado na internet

Enquanto Rússia entra para lista de países com mais casos de cibercrime, Brasil apresenta o menor índice de roubos na rede.

Apenas 4% dos usuários brasileiros foram vítimas de crimes na rede Foto: CNDD
A Rússia entrou na lista de países onde os usuários da internet são roubados com maior frequência. De acordo com o relatório da desenvolvedora de softwares Kaspersky Lab, 20% dos cidadãos russos já foram vítimas de cibercrime ao realizar transações bancárias e compras on-line.
Uma ou duas vezes por ano, 8% dos russos se deparam com a apropriação de dados pessoais ou fraudes em cartões de crédito, revelou a pesquisa.
O Brasil, por sua vez, apresenta o menor índice de roubos na internet. Apenas 4% dos usuários brasileiros foram vítimas de crimes na rede, enquanto no resto do muno, em média, 14% dos usuários já caíram em golpes na internet pelo menos uma vez na vida.
À medida que a movimentação financeira no espaço virtual cresce, aumenta também o número de pessoas dispostas a tirar provei…

Divisão de crimes cibernéticos da PF investiga boato

RENATA MAGNENTI, ESPECIAL PARA A AE - Agência Estado
A investigação sobre a disseminação do boato do fim do Bolsa-Família é comandada pelo Departamento de Crimes Cibernéticos da Polícia Federal (PF), em Brasília, disse nesta terça-feira o superintendente interino da corporação no Amazonas, Dércio Carvalheda Júnior. Em Manaus, grande parte da população soube do boato no domingo, 19, e nesta segunda-feira, 20, depois do pânico que se instalou em outras capitais.
Carvalheda Júnior afirmou que, se for necessário, a PF no Amazonas estará pronta para atuar com a polícia em Brasília. "Até o momento (nesta terça-feira à tarde), não fomos informados sobre nossa participação na investigação, nem em diligência. Pelo que sei, tudo está sendo realizado diretamente de Brasília, mas estamos prontos para auxiliarmos no que for necessário." No Amazonas, pouco mais de 305 mil famílias recebem o benefício do governo federal. A dona de casa Vailma do Nascimento Assis está inclusa na lista e te…

Crimes cibernéticos preocupam instituições financeiras

Crimes cibernéticos preocupam instituições financeiras, tanto quanto ataques aos caixas eletrônicos. Ambos, não param de crescer. Fragilidade no sistema bancário atrelada a eficiência dos métodos utilizados pelos hackers aumentam o número de crimes financeiros.
Segundo relatou a 4ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos, feita pela Confederação Nacional dos Vigilantes (CNTV) e pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), com apoio do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), em 2012 houve 2.530 ataques a bancos no país, um crescimento de 56,89% na comparação com 2011.
Mas não são apenas os ataques a caixas eletrônicos que preocupam, mundialmente, autoridades financeiras, mas toda forma de interceptar e roubar informações e dinheiro dos correntistas de bancos. Até porque, a média diária mundial de ataques cibernéticos cresceu 42% em 2012 em relação a 2011, passando de 82 para 116, segundo o relatório “Ameaças à Segur…

Para advogado, lei que trata de crimes cibernéticos chega com defasagem

Juliana Pronunciati
No mês de abril, a atriz Glória Pires sofreu um golpe online e perdeu R$ 13 mil ao depositar o valor na conta de um golpista após receber um e-mail de um amigo que dizia estar em apuros no exterior. Dias depois, ela descobriu que o amigo que lhe pediu o “empréstimo” por e-mail teve a conta de e-mail hackeada e usada por um terceiro.
Em abril, a atriz Glória Pires foi vítima de um golpe pela internet Apesar de a Lei 12.737/2012, conhecida como Lei Carolina Dieckmann, que tipifica criminalmente delitos cometidos pela internet, ter entrado em vigor em abril, o golpe pela web sofrido pela atriz não está previsto na legislação, o que faz com que o caso tenha que ser julgado por analogia, com base no artigo 171, do Código Penal, que trata do estelionato. De acordo com o advogado Marcus Reis, por a internet ser mais veloz que as atividades do Poder Legislativo, responsável por criar e aprovar as leis no país, a nova legislação chega defasada em alguns aspectos, como no c…

Estados Unidos e China afirmam que combateram crimes cibernéticos

Outros temas mais sensíveis também estão na pauta dos líderes mundiais Deutsche Welle / A. Colman
Durante encontro informal nos EUA, os presidentes Barack Obama e Xi Jinping afirmam que trabalharão em conjunto para combater crimes cibernéticos. Outros temas mais sensíveis também estão na pauta dos líderes mundiais.
O primeiro encontro entre os presidentes foi marcado por um clima cordial e declarações sobre um "novo modelo" de cooperação entre as duas maiores economias globais. Segundo Obama, a construção de uma boa relação entre os dois líderes é importante não apenas para seus respectivos países, mas para "todo o mundo".
Xi foi recebido por Obama na sexta-feira em Rancho Mirage, 200 quilômetros ao norte de Los Angeles, sob um forte calor de 46 graus Celsius. Logo após desembarcar para sua primeira visita em território norte-americano desde que assumiu o cargo, em março deste ano, o presidente chinês ressaltou que este pode ser um "recomeço histórico". …

Crimes virtuais preocupam América Latina

Segundo o jornal Folha de S. Paulo, um estudo inédito elaborado a pedido da Organização dos Estados Americanos (OEA) expôs a vulnerabilidade da América Latina a crimes cibernéticos. O estudo, feito pela consultoria Trend Micro, apontou o aumento do número de ataques e dos tipos de ameaças, que vão desde crimes financeiros até ofensivas com motivação política, como por exemplo, o “hacktivismo”. Paul Rosenzweig, formulador de estratégia de proteção eletrônica do Departamento de Segurança dos EUA, apontou que “governos e empresas da América Latina ainda veem cibersegurança como um ‘custo desnecessário’, principalmente por se tratar de uma região onde a possibilidade de uma guerra entre Estados, com o uso de ataques online, é remota”. O Brasil, que não participou do estudo, é um dos alvos mais frequentes de crimes virtuais. Segundo o pesquisador do Council on Foreign Relations, Adam Segal, convidado pelo governo federal para discutir segurança virtual com militares, “o governo brasileiro…

Microsoft e FBI miram rede global de crimes cibernéticos

Por Jim Finkle
BOSTON, 6 Jun (Reuters) - A Microsoft e o FBI, ajudados por autoridades em mais de 80 países, lançaram um grande ataque contra uma das maiores redes de crime cibernéticos do mundo, a qual se acredita ter roubado mais de 500 milhões de dólares de contas bancárias nos últimos 18 meses.
A Microsoft disse que sua Unidade de Crimes Digitais teve sucesso, na quarta-feira, em derrubar pelo menos 1.000 das cerca de 1.400 redes de computadores maliciosos, conhecidas como Citadel Bontnets.
O Citadel infectou até 5 milhões de PCs em todo o mundo e, segundo a Microsoft, foi usado para roubar dezenas de instituições financeiras, incluindo: American Express, Bank of America, Citigroup , Credit Suisse, PayPal do eBay, o HSBC, JPMorgan Chase, Royal Bank of Canada e Wells Fargo.
Apesar de os criminosos continuarem foragidos e as autoridades não saberem a identidade de todos os líderes, a ação coordenada internacionalmente lançou um golpe significativo contra as suas capacidades ciberné…

Polícia chinesa vai realizar ação de combate contra crimes cibernéticos

O Ministério de Segurança Pública da China anunciou ontem (18) uma ação especial de seis meses para combater crimes cibernéticos, a fim de salvaguardar a ordem da Internet e o interesse do povo.
O vice-ministro de Segurança Pública, Chen Zhimin, disse que os órgãos de diversos níveis de segurança pública vão investigar fraudes virtuais, atividades de hackers e outros crimes que violam a privacidade dos utilizadores. A ação visa combater redes criminosas, incluindo prestadores de serviço e vendedores que oferecem serviços aos criminosos.
Tradução: Li Jinchuan
Revisão: Catarina Domingues
http://portuguese.cri.cn/1721/2013/06/19/1s168337.htm

Delegacias de Crimes Cibernéticos e Intolerância Esportiva sairão do papel

por: Wagner Oliveira
Foi publicada na edição desta sexta-feira no Diário Oficial do estado, a LEI nº 15.026 que altera a estrutura organizacional da Polícia Civil de Pernambuco. Entre as novas medidas estão as criações das Delegacias de Repressão aos Crimes Cibernéticos e Intolerância Esportiva. As unidades atenderão a uma demanda de investigação uniforme e atuação especializada de ocorrências praticadas através da internet ou ligadas a atividades esportivas.
Segundo o Chefe de Polícia Civil, Osvaldo Morais, a implantação das unidades será imediata. A Delegacia de Crimes Cibernéticos cujo titular será o delegado Leonardo Gama vai funcionar na Sede Operacional da Polícia Civil, na Rua da Aurora. O delegado tem especialização na área de crimes cibernéticos.
Já a Delegacia de Intolerância Esportiva terá seus trabalhos executados na sede da Coordenação de Operações e Recursos Especiais (CORE), no bairro de São José. O titular será o delegado Carlos Onofre, que hoje coordena as ações da P…

EUA acusam oito pessoas por crimes cibernéticos contra bancos

Suspeita é de que tenham roubado US$ 15 milhões. Ataque cibernético invandiu o sistema de bancos e entidades financeiras. Da Reuters
Procuradores federais em Nova Jersey, nos Estados Unidos, anunciaram nesta quarta-feira (12) que entraram com acusações criminais contra oito pessoas pelo roubo de, pelo menos, US$ 15 milhões de instituições financeiras e agências governamentais. O esquema de crime cibernético internacional atingiu milhares de consumidores norte-americanos. O procurador Paul Fishman disse que quatro dos acusados já foram presos. Outros dois estão sendo perseguidos pela polícia. Os outros dois, que são cidadãos ucranianos, estão foragidos. Os promotores disseram que hackers conseguiram acesso não autorizado a redes de computadores de mais de uma dezena de entidades, como a Automatic Data Processing Inc, Citigroup, JPMorgan Chase & Co, TD Ameritrade Holding Corp e o Departamento de Defesa dos EUA.
http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2013/06/eua-acusa-oito-pessoas-p…

Varejo se prepara para a era do m-payment

Comerciantes aguardam a novidade, enquanto especialistas já alertam sobre necessidade de leis que evitem crimes
Adriana Lampert
ARQUIVO PESSOAL/DIVULGAÇÃO/JC
Capanema alerta para a necessidade de segurança no m-payment Ainda vai demorar um pouco, mas a tendência mais esperada pelo comércio brasileiro começa a dar sinais de sair do projeto, ainda embrionário. Aplicado em outros países, como os Estados Unidos, o modelo de pagamento móvel via smartphones conhecido como m-payment (Mobile Payment) deverá, em alguns anos, compartilhar espaço com os cartões de crédito, agregando conforto e agilidade na hora da compra. No entanto, especialistas em crimes cibernéticos, como o coordenador do curso de Direito Eletrônico da Escola da Magistratura do Rio de Janeiro, Walter Capanema, alertam para a necessidade de segurança jurídica por parte das empresas e para a capacidade de reconhecer possíveis tentativas de golpes por parte dos consumidores. 
Capanema estará em Porto Alegre para falar sobre o …

Em caça a crimes cibernéticos, PF garante não invadir dados de brasileiros

Em entrevista exclusiva, chefe do Serviço de Repressão a Crimes Cibernéticos garante que a Polícia Federal não monitora os movimentos dos brasileiros na rede mundial, mas investe na caça de fraudadores e pedófilos. A segurança de dados que circulam na internet e por telefone está em xeque. Desde a revelação de que o governo norte-americano monitora importantes serviços virtuais, a rede mundial de computadores se tornou um campo minado. A justificativa para o monitoramento é a identificação de grupos terroristas, que usariam a rede como cenário para a organização de ataques. No Brasil, apenas investigações autorizadas pela Justiça podem reter informações pessoais. Para as autoridades que precisam manter a segurança da rede, não é o terrorismo que mais preocupa. Os ataques ao sistema financeiro, crimes sexuais e a manutenção dos serviços essenciais estão no topo da lista. Em entrevista exclusiva para a DW Brasil, o delegado Carlos Eduardo Miguel Sobral, chefe do Serviço de Repressão a …

Profusão de senhas faz segurança virtual movimentar bilhões

SHEILA D'AMORIM FLÁVIA FOREQUE DE BRASÍLIA
À medida que a informatização ocupa espaço no dia a dia das pessoas, cresce também a quantidade de senhas para administrar.
E, se os crimes cibernéticos impulsionam essa ditadura das senhas, eles também são responsáveis por estimular uma indústria que investe bilhões para garantir a segurança das informações.
Banco do Brasil quer fim de senha no caixa em cinco anos
Apenas no setor bancário no Brasil, onde estão dados considerados mais sensíveis, os investimentos em segurança foram de R$ 2 bilhões em 2012.
Em 2008, segundo pesquisa realizada pela Febraban, foi cerca de R$ 1,2 bilhão. E com o avanço do uso de smartphones como meio de pagamento, o mercado se torna ainda mais promissor.
Para ter ideia, o Banco do Brasil, maior instituição financeira de varejo do país, tem cadastrados apenas 1 milhão de smartphones, pouco mais de 2% da base de clientes, que contabiliza 38 milhões de contas correntes.
E a cada novo canal que surge no mundo virtu…

AIG introduz em Portugal seguro contra crimes cibernéticos

A companhia norte-americana AIG acaba de disponibilizar em Portugal um novo seguro para a cobertura dos riscos cibernéticos.
Trata-se do CyberEdge é uma solução global de cobertura para proteger os negócios das empresas de fugas de informação confidencial, pirataria informática, vírus, sabotagem ou erro de colaboradores, pilhagem de informação e roubo de identidade, entre outros.
Os produtos anunciados serão disponibilizados em quatro módulos diferenciados, desde a «cobertura de responsabilidade decorrente de segurança e privacidade» à «cobertura de ciber-extorsão». De acordo com o anunciado, a AIG tem atualmente equipas em todo o mundo a monitorizar e a reagir rapidamente aos fenómenos, desde a avaliação até ao processamento de sinistros, incluindo parcerias na área forense, legal e de comunicação.
http://dinheirodigital.sapo.pt/news.asp?id_news=200809

Delegado ministrou curso sobre técnicas de investigação de crimes cibernéticos em Brasília

O delegado de polícia Higor Vinicius Nogueira Jorge, especialista na investigação de crimes cibernéticos ministrou curso sobre técnicas de investigação de crimes cibernéticos em Brasília. O curso teve a duração de 32 h/a e contou com a participação integrantes de órgãos de segurança.

Frase sobre Internet e Privacidade

Palestra sobre segurança nas redes sociais e crimes cibernéticos em Santana da Ponte Pensa

No dia 18 de junho de 2013 o delegado de polícia Higor Vinicius Nogueira Jorge apresentou a palestra “Redes Sociais e Crimes Cibernéticos” para os alunos da Escola Estadual Domingos Donato Rivelli, em Santana da Ponte Pensa. Segundo Higor Jorge as redes sociais, num mundo globalizado, cada vez mais, fazem parte do cotidiano das pessoas, de forma a oferecer uma ferramenta de comunicação nunca vista antes. Porém, o resultado desta utilização depende de como ocorre o seu uso. Por isso é necessário utilizar a internet e os recursos tecnológicos com ética e segurança. O delegado informou que as redes sociais, principalmente o Facebook, Orkut e Twitter, são instrumentos muito utilizados por pessoas com más intenções, que tenham o objetivo de praticar crimes. Nesse contexto, tem sido frequente para os órgãos que realizam a investigação criminal a identificação de autores de crimes cibernéticos praticados nestas plataformas. Na ocasião o palestrante falou também sobre os principais crimes e …