Pular para o conteúdo principal

Crimes cibernéticos preocupam instituições financeiras

Crimes cibernéticos preocupam instituições financeiras, tanto quanto ataques aos caixas eletrônicos. Ambos, não param de crescer. Fragilidade no sistema bancário atrelada a eficiência dos métodos utilizados pelos hackers aumentam o número de crimes financeiros.

Segundo relatou a 4ª Pesquisa Nacional de Ataques a Bancos, feita pela Confederação Nacional dos Vigilantes (CNTV) e pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), com apoio do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), em 2012 houve 2.530 ataques a bancos no país, um crescimento de 56,89% na comparação com 2011.

Mas não são apenas os ataques a caixas eletrônicos que preocupam, mundialmente, autoridades financeiras, mas toda forma de interceptar e roubar informações e dinheiro dos correntistas de bancos. Até porque, a média diária mundial de ataques cibernéticos cresceu 42% em 2012 em relação a 2011, passando de 82 para 116, segundo o relatório “Ameaças à Segurança na Internet”, produzido pela Symantec.

E muito embora já exista nos EUA uma lei que define a responsabilidade de instituições bancárias perante seus clientes, a Lei Sarbanes-Oxly ainda precisa ser aperfeiçoada, visto que é preciso aplicar técnicas de reconhecimento de ambiente, escaneamento e invasão nos servidores, redes e websites a fim de encontrar vulnerabilidades reais que possam ser exploradas, incluindo a permissão de acesso indevido a rede da empresa.

Só assim, será possível descobrir e parar os ataques de hackers, capazes de burlar controles de autenticação internos. Roubando números de cartões de créditos através de diferentes e audaciosas maneiras, tais como spam, phishing, keyloggers e Trojans de acesso remoto para atacar e comprometer redes bancárias e de crédito, interceptando inclusive, credenciais de login de usuários.

Através de técnicas de invasão cada vez mais aperfeiçoadas é preciso entender esses métodos para se proteger a sua empresa de possíveis ataques. Diante disso, Ronen Bem Efraim diretor executivo da GA – Global Advising no Brasil – líder no mercado de consultoria e segurança, enumera as principais maneiras de invasão.

Phishing por telefone
Um dos métodos mais simples e direto de roubo de cartão é o phishing. O hacker simplesmente faz uma ligação para a vítima fingindo ser um profissional de seu banco, e consegue seus dados bancários. As tentativas de phishing começam com um aviso de atividade não autorizada. É importante nunca fornecer nenhum dado por telefone e entrar em contato com o banco pessoalmente para certificar-se de qualquer transação.

Phising por email
São e-mails inteligentemente que simulam o contato de alguém do banco, afim de levar a vitima a fornecer informações sobre seus dados bancários. O ataque também pode simular o contato de uma loja ou site.

Framing / Poisoning
Provavelmente este é o segundo ataque mais comum. O hacker substitui as páginas reais de um site com páginas fakes, e a partir daí conseguem ter acesso a todas as informações digitadas, capturando senhas, números de cartão de crédito e informações da conta bancária.

Spoofing
Hackers também podem usar e-mails e sites falsos para roubar informações de cartões de crédito. Muito parecido com um ataque de phishing, o ataque é feito através de um e-mail falso que afirma ser de sua instituição financeira e denunciando algum tipo de acesso fraudulento a sua conta comercial. O e-mail vai alegar que tudo que você precisa fazer para corrigir o problema é clicar no link fornecido e digitar as informações da conta para verificar a sua identidade.

Hacking
Muitos sistemas de comércio da web permitem que você armazene suas informações de cartão de crédito para uso posterior. Infelizmente é comum que esse tipo de sistema apresente falhas de segurança, permitindo que hackers possam roubar um grande número de cartões, ao mesmo tempo.

Skimming
A Internet não é a única maneira de um criminoso roubar o número de cartão de crédito. Skimmers são dispositivos eletrônicos, geralmente colocados em caixas eletrônicos. Quando o cartão passa pelo leitor, esse dispositivo permite capturar informações da conta. Os viajantes são especialmente vulneráveis ​​a esses dispositivos, uma vez que eles podem não estar familiarizados com a tecnologia ATM.

http://bagarai.com.br/crimes-ciberneticos-preocupam-instituicoes-financeiras.html

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Palavra de Especialista com Delegado Higor Jorge

Hoje, às 19:00, no programa de estreia "Palavra de Especialista", o diretor da ADPESP Rodrigo Lacordia recebe o delegado de Polícia, professor e palestrante Dr. Higor Vinícius Nogueira Jorge para um bate-papo sobre crimes cibernéticos, além de dicas e informações sobre direito e tecnologia. Assistam a entrevista em: https://youtu.be/p9FF98siWvg e também no Spotify.

Obra com comentários sobre mais de 70 leis criminais tem valor promocional para associados ADPESP - Associação dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo

  A editora Juspodivm lançou a obra “Legislação Criminal Especial Comentada” elaborada por 24 delegados de polícia de todo o país, sendo 14 do estado de São Paulo. A coordenação é dos delegados Higor Vinicius Nogueira Jorge, de São Paulo, Joaquim Leitão Júnior, de Mato Grosso e William Garcez, do Rio Grande do Sul. O livro oferece comentários doutrinários e jurisprudenciais de forma objetiva, sobre mais de 70 leis criminais. Associados ADPESP podem comprar o lançamento com valor especial,  direto no site da editora Juspodivm. O cupom é válido até as 23:59 do dia 21 de maio . Para aproveitar o desconto, utilize o cupom ADPESP. A obra tem chamado a atenção do meio jurídico, sendo escrita pelos seguintes delegados e delegadas de polícia: – Antônio Flávio Rocha Freire – Bruno Fontenele Cabral – Everson Aparecido Contelli – Gabriela Madrid Aquino – Higor Vinicius Nogueira Jorge – Jakelline Costa Barros dos Santos – Joaquim Leitão Júnior – João Paulo Firpo Fontes – Joerberth Pinto Nunes – Kl

Lançamento de livros coordenados por Higor Jorge em São Paulo - Matéria do site da ADPESP

O restaurante da sede será palco do lançamento de três obras: “Manual de Educação Digital, cibercidadania e prevenção de crimes cibernéticos”, “Direito Penal sob a perspectiva da investigação criminal tecnológica”, do delegado Higor Jorge, e “Manual de investigação digital”, do delegado Guilherme Caselli. O evento acontece nesta quinta-feira, 12, de 12h às 15h, com a presença dos autores. Os associados ADPESP poderão adquirir as obras lançadas com valor promocional. Outros títulos Além das obras lançadas, também estarão disponíveis aos associados com valor promocional os livros “Manual de Interceptação Telefônica e Telemática”; “Fake News e Eleições – O Guia Definitivo”; “Enfrentamento da Corrupção e Investigação Criminal Tecnológica”; “Tratado de Investigação Criminal Tecnológica” e “Legislação Criminal Especial Comentada” . AUTORES: ANTÔNIO CARLOS CÂNDIDO ARAÚJO BRENO EDUARDO CAMPOS ALVES CAIO NOGUEIRA DOMINGUES DA FONSECA DÁRIO TACIANO DE FREITAS JÚNIOR DENIZE DOS SANTOS