Pular para o conteúdo principal

Lançamento do livro "Enfrentamento da Corrupção e Investigação Criminal Tecnológica" coordenado pelo delegado de polícia Higor Vinicius Nogueira Jorge e publicado pela Editora Juspodivm.

 


Lançamento do livro "Enfrentamento da Corrupção e Investigação Criminal Tecnológica" coordenado pelo delegado de polícia Higor Vinicius Nogueira Jorge e publicado pela Editora Juspodivm.
O lançamento ocorreu no perfil do Instagram da @editorajuspodivm

RELAÇÃO DOS AUTORES QUE PARTICIPARAM DO LANÇAMENTO E DOS TEMAS ABORDADOS:

Higor Vinicius Nogueira Jorge - Delegado de Polícia, Professor da Academia de Polícia, CERS, EBRADI, LESEN e ADESG e autor de livros – Importância da Investigação Criminal Tecnológica no Enfrentamento da Corrupção.
- Francisco Sannini Neto - Seccold
- Rafael Velasquez - Sócio da Techbiz Forense Digital, professor, palestrante e co autor de livros - Soluções Analíticas  no combate a corrupção
- Delmar Araújo Bittencourt - Delegado de Polícia, Professor da Academia de Polícia, co autor de livros - Fontes abertas e novas tecnologias disponíveis ao cidadão comum no combate à corrupção.
- Janio Konno Júnior - Investigador de Polícia e Professor da Academia de Polícia e da Pós-graduação BluEAD, coautor de livros - A figura do whistleblower (informante do bem) e a infiltração virtual de agentes no combate aos crimes contra a Administração Pública 
- Marcos Vinícius Alves e Silva Filho, Delegado de Polícia (PCRO), Coordenador do Laboratório de Tecnologia contra Lavagem de Dinheiro (LAB-LD/PC-RO), Professor da Academia de Polícia da Polícia Civil de Rondônia, palestrante e coautor de livros – A Polícia Civil no enfrentamento da corrupção e da lavagem de dinheiro: pilares para um novo marco paradigmático.
- Jorge Figueiredo Júnior - Delegado de Polícia, Professor da Academia de Polícia Civil do Estado da Bahia, Instrutor da Associação dos Delegados de Polícia da Bahia e co-autor de livros - Implementação da Tecnologia Disruptiva do Blockchains no enfrentamento à corrupção.
- Joaquim Leitão Júnior - Delegado de Polícia e atualmente lotado no cargo de Diretor Adjunto da Academia de Polícia da Polícia Civil de Mato Grosso. Coautor de obras jurídicas, artigos, palestrante e professor de curso preparatório para concurso público - Fake News no âmbito de investigações de corrupção, mecanismos de prevenção Anticorrupção e Fontes Abertas no combate e repressão à corrupção
- Ivana David – Desembargadora TJ-SP - Juíza Substituta em 2º Grau do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo
Especialista em Teoria da Prova no Processo Penal.
Integrante da Coordenadoria Criminal e de Execuções Criminais do Tribunal de Justiça. 
Integrante do corpo de palestrantes do Programa Nacional de Capacitação e Treinamento para o Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro - PNLD, promovido pelo Ministério da Justiça e da Segurança Pública.
Professora dos cursos de Direito Digital - Investigação de Crimes Digital do INSPER/Executiva e EBRADI. 
Professora da Pós-Graduação da ESA Campinas.
Palestrante e autora de diversos artigos.
Dos meios de prova na investigação na nova Lei Anticrime
- Ruchester Marreiros Barbosa, Delegado de Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro. Professor da ACADEPOL, FAEPOL, EMERJ, UNESA, EADELTA, CERS, VERBO JURÍDICO, GranCursos On Line, FORUM e DELINEA. Autor de artigos e livros jurídicos. Colunista do CONJUR. Colaborador da Rádio Justiça do STF. Prêmio “Melhores Delegados do Brasil”, categoria jurídica em 2016, 2017, 2018, 2019 e 2020 - Poder requisitório não investigação criminal, direitos fundamentais e combate à corrupção.
- Andrei F. Rocha de Oliveira - Delegado de Polícia da PCPE. Delegado da 4ª DECCOR – Delegacia de Combate à Corrupção e ao Crime Organizado do DRACCO – Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado. Pós Graduado em Direito Público com ênfase em Ciências Criminais. Palestrante. Professor do Jus21 Cursos Online - A importância de mecanismos tecnológicos no combate à corrupção e à lavagem de dinheiro
- Marcelino de Andrade Amaral - Mestre em Educação pela Universidade de Brasília - UnB e Bacharel em Direito pela Universidade Federal de Pernambuco - UFPE. É Agente de Polícia da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) lotado na Delegacia Especial de Repressão aos Crimes Cibernéticos. Na Escola Superior de Polícia Civil do Distrito Federal (ESPC/PCDF) já atuou como palestrante, tutor, professor e orientador de TCC - Tratamento das informações recebidas dos provedores de acesso Google, Apple e Microsoft com o Indexador e Processador de Evidências Digitais (IPED) em parceria com Ulisses da Nobrega Silva.
- Rafael Francisco Marcondes de Moraes. Mestre e doutorando pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP). Professor da Academia de Polícia de São Paulo (ACADEPOL). Palestrante e docente em cursos jurídicos e universidades. Delegado de Polícia do Estado de São Paulo - Direito Anticorrupção, tecnologia e devida investigação legal
- Milena Santana de Araújo Lima. Delegada de Polícia do Estado do Tocantins. Especialista no enfrentamento a crimes cibernéticos. Ex-titular da Delegacia de Repressão a Crimes Cibernéticos -DRCC, em Palmas/TO. Autora de artigos, palestrante, já tendo lecionado  matérias relacionadas aos crimes cibernéticos junto a Escola Superior da Magistratura do Tocantins,  Centro de Aperfeiçoamento Funcional do Ministério Público do Tocantins e Escola Superior da Polícia Civil do Tocantins - Fraudes bancárias eletrônicas e corrupção como causas e meios para a impunidade
- Alessandro Barreto - Delegado de Polícia Civil do Estado do Piauí. Coautor dos livros Manual de Investigação Cibernética, Inteligência e Investigação Digital, Vingança Digital, Cibercrime e seus Reflexos no Direito Brasileiro, Deep Web e Cybercards. Atualmente é Coordenador do Laboratório de Operações Cibernéticas da Secretaria de Operações Integradas/MJSP - Tecnologia, Whatsapp e os desafios na atribuição de autoria delitiva nos crimes de corrupção
- Octávio Celso Gondim Paulo Neto - Promotor de Justiça, coordenador do Núcleo de Gestão do Conhecimento do Ministério Público do Estado da Paraíba, membro colaborador do CNMP e da SPPEA/PGR, coautor de artigos científicos, hackativista e fundador do movimento hackfest - Ciência de dados e combate à corrupção
- Wagner Martins Carrasco de Oliveira, Delegado de Polícia, Especialista em Ciência Penais, Mestre em Adolescente em Conflito com a Lei, professor, palestrante, co-autor de livros - Interceptação Telefônica e Interceptação Telemática como meios tecnológicos no combate à corrupção.
- Sergio Hussein – Agente Policial na Polícia Civil do Estado de São Paulo. Formado em Gestão em Segurança Pública e Pós-Graduação em Inteligência Policial. Especialista no combate a crimes eletrônicos, tendo como foco fraudes bancárias por meios eletrônicos. Desenvolveu suas atividades em Delegacias territoriais, CiberLab da Diretoria de Inteligência (DINT) do Ministério da Justiça, Centro Integrado de Inteligência de Segurança Pública (CIISP) da Secretaria de Segurança Pública do Estado; palestrante em órgãos públicos e privados; instrutor do Curso Inteligência Cibernética do Ministério da Justiça. Atualmente no 
Departamento de Inteligência Policial (DIPOL) – Fraudes bancárias eletrônicas e corrupção como causas e meios para a impunidade
- Walter Martins Muller- Delegado de Polícia. Mestre em Direito Processual Penal. Especialista em Segurança Pública e Sistema de Justiça Criminal. Professor da Academia de Polícia Civil de São Paulo. Professor Universitário - O emprego da tecnologia no combate à corrupção e o papel do compliance na salvaguarda dos direitos fundamentais
- Letícia Sabbadini Muller  -  Advogada de Conpliance pela Tozzini Freire Advogados. Embaixadora do Programa TFinclusão de Tozzini Freire Advogados – Compliance, Direitos fundamentais e enfrentamento da corrupção
- Ricardo Magno Teixeira Fonseca- Policial Civil do DF, lotado na DRCC, Pós graduado em Perícia Digital, Computação Forense, Direito Digital, Cybercrime e Cybersecurity. Docente em cursos na Escola Superior da PCDF, SENASP, cursos de pós graduação e outros destinados a profissionais de Segurança Publica. Autor de capítulos dos livros Tratado de Investigação Criminal Tecnológica e Enfrentamento da Corrupção e Investigação Criminal Tecnológica, ambos publicados pela Jus Podivm.
Tema: Uso de Big Data no enfrentamento à Corrupção: experiência brasileira
- Maria Angélica Castillo Rios - Engenheira de Computação e de Sistemas. Mestre em Cibersegurança. Pós-graduada em Engenharia de Software e em Gerenciamento de Projetos. Certificada internacionalmente como Auditora ISO / IEC 27001, Auditora ISO / IEC 22301, Profissional Scrum Foundation, Gerente Líder de Segurança Cibernética ISO / IEC 27032 e Profissional de Segurança Cibernética.
Tema: Uso de big data no combate à corrupção: experiência peruana
- Romina Cabrera - Inteligência artificial e corrupção
- Emprego do afastamento do sigilo perante Google e Apple no enfrentamento da corrupção – Higor Vinicius Nogueira Jorge, Márcio Rogério Porto2, Hélio Molina Jorge Júnior e Ulisses da Nóbrega Silva
- César Henrique Sanfelice Rocha de Oliveira - Hélio Molina Jorge Júnior e Higor Vinicius Nogueira Jorge - Redes sociais, tecnologia da informação, cibercidadania e enfrentamento da corrupção 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Top 10 ameaças de segurança para 2011

Top 10 ameaças de segurança para 2011

 Dos dez principais ameaças de segurança para 2011, alguns deles até mesmo fazer o bem informado e técnicos mentes fracas nos joelhos. Já este ano, a ameaça número um foi identificado. Pela primeira vez na história da internet, os hackers podem comprar uma cópia registrada de um kit de Malware sofisticados para 99,00 dólares, mas mais sobre essa ameaça abaixo. Em nenhuma ordem particular, estes são os outros nove principais ameaças à segurança para 2011:
O Malware Toolkit: Este Kit Malware inclui todas as ferramentas necessárias para criar e atualizar o malware, bem como assumir o controle de um computador host, além de atualizações e-mail e suporte do produto. Por que isso é como a ameaça? Porque não são necessárias habilidades de codificação, os usuários simplesmente precisam dominar as opções do programa clicáveis e são apresentadas com uma web baseada em Linux exploit usando a mais recente tecnologia de botnets, pronto para implantar.
hacker…

O perigo do ‘leilão de centavos’

Advogado especialista em segurança da informação denuncia as fraudes que levam internautas a perder dinheiro em sites Cristina Camargo

Agência BOM DIA

Atenção: ao não resistir à tentação e entrar em sites que promovem os “leilões de centavos”, você pode ser enganado e perder dinheiro. É o alerta do advogado José  Milagre, de Bauru, especializado em segurança da informação.
“Em análise acerca da autenticidade de alguns sites, identificamos que, descaradamente e incrivelmente, os vencedores são sempre os mesmos – e estes usuários, na verdade, não existem”, escreveu no site Olhar Digital, em artigo que ganhou repercussão entre os internautas.
Quem participa desses leilões compra créditos pré-pagos  para lançar à vontade nos produtos. Mas, segundo Milagre, grande parte desses endereços eletrônicos divulga informações falsas aos usuários. “Na verdade, [os sites] não estornam os créditos e alguns sequer permitem que os créditos sejam utilizados para a compra de outras mercadorias, o que fere…

Saiba como o Egito se desligou da web, e o que é feito para furar bloqueio

Internet foi criada para sobreviver a ataque nuclear, mas pode ser 'fechada'.
País tem rede pequena e provedores cooperaram com governo. Altieres RohrEspecial para o G1 Alguns telefonemas. É o que especialistas apostam ter sido suficiente para derrubar a internet no Egito. O país tem poucas das chamadas redes autônomas (AS, na sigla em inglês), que são as pequenas redes que, quando conectadas entre si, formam a internet. Existem ainda menos provedores internacionais que conectam o país. Desconectar o Egito, portanto, não foi difícil.
O Egito possui cerca de 3500 redes, mas apenas seis provedores internacionais.
Os quatro maiores provedores do Egito foram os primeiros a parar suas atividades após o pedido do governo. Os demais acabaram recebendo o tráfego extra, mas logo se viram sobrecarregados e também sob pressão até que o último provedor, Noor, foi desligado nesta segunda-feira (31). O Noor ligava companhias ocidentais à internet e também a bolsa de valores do país, que agora…