Pular para o conteúdo principal

Polícia Federal cria ferramentas para combater a pornografia infantil









A Polícia Federal (PF) investe em tecnologias inovadoras no combate a pornografia infantil na Internet. Operações como Tapete Persa, Laio, Turko, e Carrossel I e II resultaram na prisão de diversos pedófilos nos últimos três anos. Uma das armas mais recentes nessa luta, o software NuDetective, desenvolvida por dois peritos do Mato Grosso do Sul, consegue identificar a presença de material com pornografia infantil em computador suspeito. A ferramenta foi apresentada na VII Conferência Internacional de Perícias em Crimes Cibernéticos (ICCyber 2010).
O perito criminal federal e chefe do Serviço de Perícias em Informática da PF, Marcos Vinicius Lima, explica que o combate a pedofilia tem se intensificado com o aumento no número de prisões a cada ano: “somente na ultima ação prendemos mais de 20 suspeitos. Essas ferramentas deram efetividade ao trabalho da polícia”, afirmou.
O NuDetective funciona por meio do reconhecimento automatizado de assinaturas de arquivos digitais. O software faz uma triagem na memória da máquina periciada em busca de conteúdos que indiquem a presença de material pornográfico infantil. Em breve, uma nova versão vai reconhecer os padrões de imagens, tornando a varredura nos sistemas suspeitos ainda mais confiável e precisa.
o perito criminal Marcos Vinicius conta que o NuDedective permitiu maior rapidez na detecção desse tipo de conteúdo, o que trouxe ganhos na hora de prender o suspeito em flagrante. “De acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), a posse de material pornográfico infantil é crime. Assim, podemos prender o acusado e dar o flagrante no exato momento que o software encontra o conteúdo pornográfico no computador periciado”, destacou o especialista da PF.
Além do NuDedective, peritos da PF também desenvolveram outras ferramentas para o combate a pedofilia na Internet. Uma delas é o EspiaMule, que consegue pesquisar e coletar informações de usuários do programa de compartilhamento Emule, catalogando endereços e criando um mapa da distribuição de imagens de pornografia infantil. Utilizada na operação Tapete Persa, o EspiaMule será compartilhado com a Interpol, agência de polícia internacional. Outro meio de combate é o software WMM. Ele analisa vestígios de conversas do Messenger (MSN). A ferramenta consegue resgatar as conversas realizadas no programa, ajudando no combate e na elucidação de crimes. O WMM foi disponibilizado pela Polícia Federal brasileira e será utilizado pela Polícia Nacional da Espanha.
É crime: apresentar, produzir, vender, fornecer, divulgar ou publicar, por qualquer meio de comunicação, inclusive rede mundial de computadores ou internet, fotografias, imagens com pornografia ou cenas de sexo explícito envolvendo crianças e pré-adolescentes.
Com a mudança no artigo 241 do Estatuto da Criança e do Adolescente, a posse de fotografias ou vídeos de pornografia, mesmo que não compartilhe o material, passou a ser crime, passível das mesmas punições aplicadas para quem repassa esse tipo de conteúdo.
Confira um histórico recente de operações contra a pornografia infantil deflagradas pela Polícia Federal nos últimos três anos:
Operação Tapete Persa (2010) 
Mais de 20 suspeitos de abuso sexual e pedofilia na internet foram presos durante a operação, deflagrada simultaneamente em 54 cidades de nove estados brasileiros; Operação Turko (2009) - Realizada no dia 18 de maio de 2009, cerca de 400 policiais cumpriram 92 mandados de busca e apreensão em 20 estados e no Distrito Federal. Dez suspeitos foram presos; Operação Laio (2009) - Deflagrada no dia 15 de setembro de 2009, a operação resultou na prisão em flagrante de sete pessoas. O alvo da ação foi um grupo que mantinha uma de rede de compartilhamento de fotos, vídeos, entre outros materiais com conteúdo de pedofilia pela internet. A operação aconteceu em São Paulo, Rio, Minas e Ceará, além do Distrito Federal; Operação Carrossel II (2008) - Realizada no dia 03 de setembro, a Operação Carrossel II convergiu com os trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito – CPI, instaurada no Senado Federal em março de 2008, para investigar o assunto. A investigação contou com o apoio da Interpol no Brasil. Foram mobilizados 650 policiais, que cumpriram 113 mandados de busca e apreensão em 17 estados e no Distrito Federal. As investigações da operação Carrossel identificaram aproximadamente 200 pedófilos em mais de 70 países; Operação Carrossel I (2007) - 
Iniciada no dia 20 de dezembro a operação tinha como objetivo reprimir a prática de pedofilia na rede mundial de computadores. A ação ocorreu simultaneamente em 14 estados e no Distrito Federal e três suspeitos foram presos.
Sobre o Iccyber 2010
Autoridades brasileiras e internacionais, especialistas, consultores e pesquisadores das áreas de segurança da informação, computação forense e direito eletrônico, se reúniram em Brasília/DF, entre os dias 15 e 17 de setembro, e discutiram novas técnicas e ferramentas que auxiliam no combate aos chamados crimes cibernéticos. Ocorreu na Conferência Internacional de Perícias em Crimes Cibernéticos (ICCyber 2010), um dos mais importantes eventos de tecnologia e perícias em informática da América Latina.
O evento é realizado pela Associação Brasileira de Especialistas em Alta Tecnologia (Abeat), em convênio com a Polícia Federal, por meio do Serviço de Perícias em Informática (Sepinf) do Instituto Nacional de Criminalística (INC). O FBI - Federal Bureau of Investigation (Polícia Federal dos Estados Unidos), é também uma das entidades apoiadoras, fundamentais tanto na formatação do conteúdo como no suporte institucional e no convite para a participação dos demais organismos e polícias internacionais.

Extraido do site: http://www.jornalagora.com.br/site/content/noticias/detalhe.php?e=7&n=1580

Comentários

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Concordo com o Jeferson, vou pensar duas vezes antes de ter porno no pc

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Meu arsenal de putaria vai para o espaço depois de ler esta notícia, muito obrigado

    ResponderExcluir
  5. Tenho que excluir minha pasta pornográfica de anões gays

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Palavra de Especialista com Delegado Higor Jorge

Hoje, às 19:00, no programa de estreia "Palavra de Especialista", o diretor da ADPESP Rodrigo Lacordia recebe o delegado de Polícia, professor e palestrante Dr. Higor Vinícius Nogueira Jorge para um bate-papo sobre crimes cibernéticos, além de dicas e informações sobre direito e tecnologia. Assistam a entrevista em: https://youtu.be/p9FF98siWvg e também no Spotify.

Obra com comentários sobre mais de 70 leis criminais tem valor promocional para associados ADPESP - Associação dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo

  A editora Juspodivm lançou a obra “Legislação Criminal Especial Comentada” elaborada por 24 delegados de polícia de todo o país, sendo 14 do estado de São Paulo. A coordenação é dos delegados Higor Vinicius Nogueira Jorge, de São Paulo, Joaquim Leitão Júnior, de Mato Grosso e William Garcez, do Rio Grande do Sul. O livro oferece comentários doutrinários e jurisprudenciais de forma objetiva, sobre mais de 70 leis criminais. Associados ADPESP podem comprar o lançamento com valor especial,  direto no site da editora Juspodivm. O cupom é válido até as 23:59 do dia 21 de maio . Para aproveitar o desconto, utilize o cupom ADPESP. A obra tem chamado a atenção do meio jurídico, sendo escrita pelos seguintes delegados e delegadas de polícia: – Antônio Flávio Rocha Freire – Bruno Fontenele Cabral – Everson Aparecido Contelli – Gabriela Madrid Aquino – Higor Vinicius Nogueira Jorge – Jakelline Costa Barros dos Santos – Joaquim Leitão Júnior – João Paulo Firpo Fontes – Joerberth Pinto Nunes – Kl

Lançamento de livros coordenados por Higor Jorge em São Paulo - Matéria do site da ADPESP

O restaurante da sede será palco do lançamento de três obras: “Manual de Educação Digital, cibercidadania e prevenção de crimes cibernéticos”, “Direito Penal sob a perspectiva da investigação criminal tecnológica”, do delegado Higor Jorge, e “Manual de investigação digital”, do delegado Guilherme Caselli. O evento acontece nesta quinta-feira, 12, de 12h às 15h, com a presença dos autores. Os associados ADPESP poderão adquirir as obras lançadas com valor promocional. Outros títulos Além das obras lançadas, também estarão disponíveis aos associados com valor promocional os livros “Manual de Interceptação Telefônica e Telemática”; “Fake News e Eleições – O Guia Definitivo”; “Enfrentamento da Corrupção e Investigação Criminal Tecnológica”; “Tratado de Investigação Criminal Tecnológica” e “Legislação Criminal Especial Comentada” . AUTORES: ANTÔNIO CARLOS CÂNDIDO ARAÚJO BRENO EDUARDO CAMPOS ALVES CAIO NOGUEIRA DOMINGUES DA FONSECA DÁRIO TACIANO DE FREITAS JÚNIOR DENIZE DOS SANTOS