Pular para o conteúdo principal

Trojan brasileiro impede que usuário atualize o antivírus

Por Renato Rodrigues, do IDG Now!

Publicada em 28 de janeiro de 2011 às 19h04

Malware também redireciona o internauta para páginas falsas de bancos, mesmo que a URL digitada seja a correta.

Um novo trojan criado no Brasil tenta bloquear o acesso do navegador a sites de companhias antivirus e redireciona o internauta para páginas falsas de bancos, mesmo que ele digite a URL correta. Além disso, o código foi escrito para impedir que antivirus já instalado no PC baixe atualizações.
O vírus, descoberto por Fabio Assolini, analista de malware da Kaspersky Lab no Brasil, utiliza uma técnica chamada de Man in the Browser (MitB). "Esse tipo de infecção funciona alterando a chave “AutoConfigURL” no registro do Windows, fazendo que os navegadores de seu PC usem a URL como proxy (intermediário) em sua conexão web", diz.
Se o usuário infectado tentar acessar um site para baixar algum antivirus, verá a seguinte mensagem: “Serviço indisponível temporariamente, tente mais tarde...”
O código traz uma lista de servidores usados pelas companhias antivirus para distribuir atualizações para seus usuários. "O intuito é claro: tentar impedir o antivirus instalado de baixar atualizações e assim detectar a praga ativa e removê-la", explica o analista.
A praga também altera as configurações do Firefox e registra um arquivo na inicialização. Esse arquivo atualiza o proxy malicioso no sistema, caso o mesmo seja removido pelos serviços de hospedagem. "Assim, o criminoso tenta garantir que a vitima fique infectada o maior tempo possivel", afirma.

Extraído do site: http://idgnow.uol.com.br/seguranca/2011/01/28/trojan-brasileiro-impede-que-usuario-atualize-o-antivirus/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Palavra de Especialista com Delegado Higor Jorge

Hoje, às 19:00, no programa de estreia "Palavra de Especialista", o diretor da ADPESP Rodrigo Lacordia recebe o delegado de Polícia, professor e palestrante Dr. Higor Vinícius Nogueira Jorge para um bate-papo sobre crimes cibernéticos, além de dicas e informações sobre direito e tecnologia. Assistam a entrevista em: https://youtu.be/p9FF98siWvg e também no Spotify.

Obra com comentários sobre mais de 70 leis criminais tem valor promocional para associados ADPESP - Associação dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo

  A editora Juspodivm lançou a obra “Legislação Criminal Especial Comentada” elaborada por 24 delegados de polícia de todo o país, sendo 14 do estado de São Paulo. A coordenação é dos delegados Higor Vinicius Nogueira Jorge, de São Paulo, Joaquim Leitão Júnior, de Mato Grosso e William Garcez, do Rio Grande do Sul. O livro oferece comentários doutrinários e jurisprudenciais de forma objetiva, sobre mais de 70 leis criminais. Associados ADPESP podem comprar o lançamento com valor especial,  direto no site da editora Juspodivm. O cupom é válido até as 23:59 do dia 21 de maio . Para aproveitar o desconto, utilize o cupom ADPESP. A obra tem chamado a atenção do meio jurídico, sendo escrita pelos seguintes delegados e delegadas de polícia: – Antônio Flávio Rocha Freire – Bruno Fontenele Cabral – Everson Aparecido Contelli – Gabriela Madrid Aquino – Higor Vinicius Nogueira Jorge – Jakelline Costa Barros dos Santos – Joaquim Leitão Júnior – João Paulo Firpo Fontes – Joerberth Pinto Nunes – Kl

Publicado o livro “Direito Penal sob a perspectiva da investigação criminal tecnológica”

POR QUE COMPRAR O LIVRO: DIREITO PENAL SOB A PERSPECTIVA DA INVESTIGAÇÃO CRIMINAL TECNOLÓGICA? O mundo fenomênico sofre, constantemente, influência da tecnologia em sua evolução e no seu aperfeiçoamento. Logo, esse fenômeno repercute, também, no âmbito criminal, visto que os delitos atuais contam com um componente que evolui a cada minuto, qual seja, o tecnológico (informático, inclusive). Assim, os conceitos de vestígio e o de corpo de delito ampliaram-se. Tal fato exige dos investigadores preparação e atualização constantes, visto que o criminoso, no atual estágio, pode voltar ao local do crime até mesmo virtualmente para prejudicar a obtenção de sinais que, em geral, não são mais observáveis de plano ou percebidos materialmente, no sentido tradicional. Trata-se de um desafio e a forma de enfrentá-lo tem na capacitação o suporte necessário. Para tanto, a presente obra, coordenada pelo jovem e competente Delegado de Polícia Higor Vinicius Nogueira Jorge, viabiliza a obte