Pular para o conteúdo principal

Como proteger suas fotos íntimas no computador e no smartphone


Caso da atriz Carolina Dieckmann mostra a importância do cuidado com informações pessoais

iG São Paulo | A segurança de informações guardadas em computadores e smartphones voltou aos noticiários com o caso da atriz Carolina Dieckmann. Fotos privadas da atriz, incluindo algumas em que ela estava nua, foram parar em sites na internet e viraram caso de polícia.
Foto: AgNewsCarolina Dieckmann teve fotos vazadas na internet e acionou a polícia para descobrir o autor do crime
A possibilidade de isso acontecer com pessoas famosas é maior, já que elas são alvos naturais para quem quer ganhar dinheiro com chantagem. Mas o vazamento de fotos também pode ocorrer com pessoas comuns que não tomem as devidas precauções.
A primeira e mais eficaz dica para evitar que fotos íntimas parem na internet é simplesmente não tirar fotos íntimas. Mas, por diversos motivos, muitas pessoas não seguem essa orientação. 
Nesses casos, algumas medidas podem aumentar a segurança das fotos e dificultar a vida de quem quer acessá-las sem autorização. Confira as dicas.
Guarde as fotos na internet
Em vez de deixar as imagens no HD, use um serviço de armazenamento remoto para guardá-las. Assim, mesmo que alguém tenha acesso ao PC, só terá acesso às imagens se souber o serviço de armazenamento usado e a senha. Algumas opções de serviços de armazenamento são o iG Backup,Google Drive e SkyDrive.
Proteja pastas no PC e no celular
Se preferir guardar suas fotos no computador, use um programa para proteger a pasta em que elas estão. O Folder Lock (R$ 80) é um software pago que protege pastas e arquivos com criptografia. Há também opções grátis para essa função, como o Easy File Locker.
Esse cuidado também deve ser feito no smartphone. Há no mercado alguns programas que protegem as fotos guardadas em smartphones com senha. Para iPhone, os programas que protegem pastas podem ser encontrados na seção Utilidades da App Store. Entre eles estão o Pasta Segura e o Sua Pasta Secreta. Para Android, uma opção para essa função é o Private Gallery - Encrypt Photo, disponível na loja de aplicativos Google Play.
Veja abaixo softwares para proteger arquivos
Private Photo é opção para proteger fotos em smartphones com sistema Android. Foto: Divulgação
1/6
Evite senhas óbvias
De nada adianta usar serviços na nuvem ou programas de proteção se a senha usada for fácil demais. Evite senhas com números sequenciais ou repetidos, nomes de parentes ou datas de nascimento. Essas informações são fáceis de serem obtidas ou adivinhadas.
Entre as dicas para criar senhas mais fortes estão alternar letras maiúsculas e minúsculas e usar caracteres especiais ($, @, !, # e outros). Também é uma boa ideia usar várias senhas. Assim, caso um hacker consiga uma senha de um determinado serviço, ela não servirá para permitir o acesso a outros.
Não guarde fotos no Facebook ou no e-mail
Em tese, o Facebook pode ser usado para guardar fotos particulares. Basta transferir as fotos e marcá-las como privadas. O problema é que, por padrão, as fotos publicadas são vistas por todos e é fácil se confundir ao transferir a imagem.
Além disso, fotos guardadas em redes sociais podem ser afetadas por falhas no sistema, como a que permitiu a divulgação de fotos privadas de Mark Zuckerberg. Por essas razões, não é uma boa ideia usar o Facebook ou outra rede social para guardar fotos privadas.
Serviços muito populares de e-mail estão entre os primeiros alvos de hackers que querem informação sobre uma pessoa. Com o nome de uma pessoa em mãos, muitos criminosos obtêm o endereço de e-mail a partir de tentativa e erro. Por isso, não é uma boa ideia usar um serviço de e-mail para guardar cópias de fotos íntimas.
Evite guardar fotos em pen drives
Pen drives são pequenos, fáceis de perder e esquecer. Por isso, é uma má ideia andar por aí com um pen drive com conteúdo privado.
Mantenha um antivírus atualizado
A forma mais comum que hackers usam para ter acesso a PCs é por meio de vírus. Na maioria dos casos, o internauta é induzido a clicar em um link malicioso, que contamina o computador. A forma mais eficaz de evitar esse tipo de problema é manter um antivírus atualizado, além de evitar clicar em links suspeitos ou enviados por estranhos.
Para apagar, use um destruidor de arquivos
Mesmo quando são apagados da Lixeira, arquivos permanecem no disco rígido e, em alguns casos, podem ser facilmente recuperados com programas de recuperação de arquivos.
Por isso, para apagar um arquivo de vez o melhor é usar um programa de destruição de arquivos. Algumas opções para fazer isso são TuneUp Utilities 2012,  Eraser Portable e File Shredder. Antes de apagar os arquivos, esses programas "embaralham" os bits que compõem o documento. Assim, a recuperação do arquivo com ferramentas comerciais fica praticamente impossível.
Antes de mandar para assistência, apague seus rastros
Se o seu computador deu problema, tenha o cuidado de remover fotos e outras informações pessoais antes de enviá-lo para uma assistência técnica. Faça cópias de arquivos pessoais e apague o que for necessário usando um destruidor de arquivos (detalhado na dica anterior).
Apague também todo o histórico de navegação de seu browser. O caminho varia dependendo do navegador, mas os controles de privacidade costumam ficar sob o item Ferramentas ou Opções.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Palavra de Especialista com Delegado Higor Jorge

Hoje, às 19:00, no programa de estreia "Palavra de Especialista", o diretor da ADPESP Rodrigo Lacordia recebe o delegado de Polícia, professor e palestrante Dr. Higor Vinícius Nogueira Jorge para um bate-papo sobre crimes cibernéticos, além de dicas e informações sobre direito e tecnologia. Assistam a entrevista em: https://youtu.be/p9FF98siWvg e também no Spotify.

Obra com comentários sobre mais de 70 leis criminais tem valor promocional para associados ADPESP - Associação dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo

  A editora Juspodivm lançou a obra “Legislação Criminal Especial Comentada” elaborada por 24 delegados de polícia de todo o país, sendo 14 do estado de São Paulo. A coordenação é dos delegados Higor Vinicius Nogueira Jorge, de São Paulo, Joaquim Leitão Júnior, de Mato Grosso e William Garcez, do Rio Grande do Sul. O livro oferece comentários doutrinários e jurisprudenciais de forma objetiva, sobre mais de 70 leis criminais. Associados ADPESP podem comprar o lançamento com valor especial,  direto no site da editora Juspodivm. O cupom é válido até as 23:59 do dia 21 de maio . Para aproveitar o desconto, utilize o cupom ADPESP. A obra tem chamado a atenção do meio jurídico, sendo escrita pelos seguintes delegados e delegadas de polícia: – Antônio Flávio Rocha Freire – Bruno Fontenele Cabral – Everson Aparecido Contelli – Gabriela Madrid Aquino – Higor Vinicius Nogueira Jorge – Jakelline Costa Barros dos Santos – Joaquim Leitão Júnior – João Paulo Firpo Fontes – Joerberth Pinto Nunes – Kl

Lançamento de livros coordenados por Higor Jorge em São Paulo - Matéria do site da ADPESP

O restaurante da sede será palco do lançamento de três obras: “Manual de Educação Digital, cibercidadania e prevenção de crimes cibernéticos”, “Direito Penal sob a perspectiva da investigação criminal tecnológica”, do delegado Higor Jorge, e “Manual de investigação digital”, do delegado Guilherme Caselli. O evento acontece nesta quinta-feira, 12, de 12h às 15h, com a presença dos autores. Os associados ADPESP poderão adquirir as obras lançadas com valor promocional. Outros títulos Além das obras lançadas, também estarão disponíveis aos associados com valor promocional os livros “Manual de Interceptação Telefônica e Telemática”; “Fake News e Eleições – O Guia Definitivo”; “Enfrentamento da Corrupção e Investigação Criminal Tecnológica”; “Tratado de Investigação Criminal Tecnológica” e “Legislação Criminal Especial Comentada” . AUTORES: ANTÔNIO CARLOS CÂNDIDO ARAÚJO BRENO EDUARDO CAMPOS ALVES CAIO NOGUEIRA DOMINGUES DA FONSECA DÁRIO TACIANO DE FREITAS JÚNIOR DENIZE DOS SANTOS