Pular para o conteúdo principal

Microsoft e FBI miram rede global de crimes cibernéticos

Por Jim Finkle

BOSTON, 6 Jun (Reuters) - A Microsoft e o FBI, ajudados por autoridades em mais de 80 países, lançaram um grande ataque contra uma das maiores redes de crime cibernéticos do mundo, a qual se acredita ter roubado mais de 500 milhões de dólares de contas bancárias nos últimos 18 meses.

A Microsoft disse que sua Unidade de Crimes Digitais teve sucesso, na quarta-feira, em derrubar pelo menos 1.000 das cerca de 1.400 redes de computadores maliciosos, conhecidas como Citadel Bontnets.

O Citadel infectou até 5 milhões de PCs em todo o mundo e, segundo a Microsoft, foi usado para roubar dezenas de instituições financeiras, incluindo: American Express, Bank of America, Citigroup , Credit Suisse, PayPal do eBay, o HSBC, JPMorgan Chase, Royal Bank of Canada e Wells Fargo.

Apesar de os criminosos continuarem foragidos e as autoridades não saberem a identidade de todos os líderes, a ação coordenada internacionalmente lançou um golpe significativo contra as suas capacidades cibernéticas.

"Os bandidos vão sentir o soco no estômago", disse o conselheiro geral assistente da Unidade de Crimes Digitais da Microsoft, Richard Boscovich Domingues.

Os botnets são exércitos de computadores pessoais infectados, ou bots, que executam softwares que os forçam a verificar e obedecer regularmente a servidores de "comando e controle" operados por hackers.

Os botnets são tipicamente usados para cometer crimes financeiros, enviar spam, distribuir vírus e atacar redes de computadores. (Veja o gráfico: http://link.reuters.com/vem68t)

Citadel é um dos maiores botnets em operação hoje. A Microsoft disse que seu criador acoplou o software com versões piratas do sistema operacional Windows, e é usado para controlar PCs nos Estados Unidos, Europa Ocidental, Hong Kong, Índia e Austrália.

O polícia federal norte-americana FBI disse à Reuters que está trabalhando em estreita colaboração com a Europol e outras autoridades no exterior para tentar capturar os criminosos desconhecidos. O FBI obteve mandados de busca, como parte do que se caracteriza como uma investigação criminal "bastante avançada".

"Estamos intensificando o jogo em nosso nível de compromisso em ir atrás de criadores de botnets e distribuidores", afirmou o diretor-executivo assistente do FBI Richard McFeely em uma entrevista.

(Reportagem de Jim Finkle)

http://www.pop.com.br/popnews/mundo/Microsoft-e-FBI-miram-rede-global-de-crimes-ciberneticos-958750.html

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Primeiro episódio da "Conversa com Autores" com o delegado Wagner Carrasco

  Nesta segunda-feira teve início uma série de lives denominada "Conversa com Autores". O primeiro coautor a participar foi delegado Wagner Martins Carrasco de Oliveira @delegadowagnercarrasco que abordou os mesmos temas apresentados no capítulo que escreveu para o Tratado de Investigação Criminal Tecnológica, especialmente abordou os crimes de pirataria e a operação 404. Wagner Martins Carrasco de Oliveira é Delegado da Polícia Civil do Estado de São Paulo, em exercício na 1ª Delegacia da Divisão de Investigações Gerais (DIG) do Departamento de Investigações Criminais (DEIC). Graduado em Direito. Especialista Ciências Penais. Mestre em Adolescentes em Conflito com a Lei.

Obra com comentários sobre mais de 70 leis criminais tem valor promocional para associados ADPESP - Associação dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo

  A editora Juspodivm lançou a obra “Legislação Criminal Especial Comentada” elaborada por 24 delegados de polícia de todo o país, sendo 14 do estado de São Paulo. A coordenação é dos delegados Higor Vinicius Nogueira Jorge, de São Paulo, Joaquim Leitão Júnior, de Mato Grosso e William Garcez, do Rio Grande do Sul. O livro oferece comentários doutrinários e jurisprudenciais de forma objetiva, sobre mais de 70 leis criminais. Associados ADPESP podem comprar o lançamento com valor especial,  direto no site da editora Juspodivm. O cupom é válido até as 23:59 do dia 21 de maio . Para aproveitar o desconto, utilize o cupom ADPESP. A obra tem chamado a atenção do meio jurídico, sendo escrita pelos seguintes delegados e delegadas de polícia: – Antônio Flávio Rocha Freire – Bruno Fontenele Cabral – Everson Aparecido Contelli – Gabriela Madrid Aquino – Higor Vinicius Nogueira Jorge – Jakelline Costa Barros dos Santos – Joaquim Leitão Júnior – João Paulo Firpo Fontes – Joerberth Pinto Nunes – Kl