Pular para o conteúdo principal

Recomendações de segurança no WhatsApp, Facebook e outras redes sociais - delegado Higor Jorge

 


Recomendações de segurança no WhatsApp pelo delegado Higor Jorge Existem muitos criminosos que estão convencendo as vítimas a informar uma numeração (código de segurança) que é enviada para o celular da vítima (via SMS). Segundo o delegado Higor Vinicius Nogueira Jorge, a numeração é usada para clonar o WhatsApp da vítima, sendo que o criminoso passa a pedir dinheiro para os amigos da vítima e muitos acreditam que trata-se da vítima, de modo que realizam transferências bancárias para contas indicadas pelo criminoso. Outra estratégia dos criminosos é enviar links que desabilitam a dupla verificação configurada pela vítima. O mesmo ocorre em relação a outras redes sociais como Facebook, Instagram, Twitter, Linkedin etc. Criminosos utilizam as mais variadas estratégias para convencer as vítimas, para que informem senhas ou códigos recebidos via e-mail ou SMS e utilizam as informações para ter acesso as redes sociais. Em poder das redes sociais das vítimas, os criminosos alteram a senha, simulam ser as vítima e podem enviar links maliciosos (vírus) para os seus amigos ou, como afirmado acima, pedem dinheiro para as pessoas. Os usuários desses serviços não devem passar para outras pessoas determinadas informações como senhas ou códigos recebidos por e-mail ou via SMS. Também é importante ter cuidado com criminosos que criam contas no WhatsApp com a foto das vítimas e pedem dinheiro para amigos e familiares que não se dão conta que o número do WhatsApp é diferente do utilizado pelas vítimas. Um procedimento que ajuda a evitar o risco de clonagem de contas do WhatsApp é fazer a denominada "dupla autenticação" ou "verificação em duas etapas", de forma a adicionar mais uma camada de segurança para a vítima. Abaixo o delegado demonstra como realizar a dupla verificação: Como configurar a dupla verificação no WhatsApp: 1- Acessar o menu do WhatsApp (localizado no canto superior direito); 2- Clicar em "Configurações"; 3- Acessar "Conta"; 4- Selecionar "Verificação em duas etapas"; 5- Clicar no ícone "Ativar" com a finalidade de habilitar a dupla verificação no WhatsApp; 6- Escolher o PIN de 6 dígitos (código que será solicitado em diversas situações, inclusive, quando for registrar seu número no WhatsApp em um celular); 7- Confirmar a senha; 8- Inserir o e-mail para, se necessário, recuperar a senha; 9- Clicar em "Salvar". Mais informações sobre investigação criminal tecnológica acesse: www.higorjorge.com.br.⠀ #investigaçãocriminaltecnológica #policiacivil #concursos #crimesciberneticos #delegadodepolicia #investigacaocriminaltecnologica #investigaçãocriminal #santafedosul #higorjorge #educacaodigital | www.higorjorge.com.br www.crimesciberneticos.net

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Palavra de Especialista com Delegado Higor Jorge

Hoje, às 19:00, no programa de estreia "Palavra de Especialista", o diretor da ADPESP Rodrigo Lacordia recebe o delegado de Polícia, professor e palestrante Dr. Higor Vinícius Nogueira Jorge para um bate-papo sobre crimes cibernéticos, além de dicas e informações sobre direito e tecnologia. Assistam a entrevista em: https://youtu.be/p9FF98siWvg e também no Spotify.

Obra com comentários sobre mais de 70 leis criminais tem valor promocional para associados ADPESP - Associação dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo

  A editora Juspodivm lançou a obra “Legislação Criminal Especial Comentada” elaborada por 24 delegados de polícia de todo o país, sendo 14 do estado de São Paulo. A coordenação é dos delegados Higor Vinicius Nogueira Jorge, de São Paulo, Joaquim Leitão Júnior, de Mato Grosso e William Garcez, do Rio Grande do Sul. O livro oferece comentários doutrinários e jurisprudenciais de forma objetiva, sobre mais de 70 leis criminais. Associados ADPESP podem comprar o lançamento com valor especial,  direto no site da editora Juspodivm. O cupom é válido até as 23:59 do dia 21 de maio . Para aproveitar o desconto, utilize o cupom ADPESP. A obra tem chamado a atenção do meio jurídico, sendo escrita pelos seguintes delegados e delegadas de polícia: – Antônio Flávio Rocha Freire – Bruno Fontenele Cabral – Everson Aparecido Contelli – Gabriela Madrid Aquino – Higor Vinicius Nogueira Jorge – Jakelline Costa Barros dos Santos – Joaquim Leitão Júnior – João Paulo Firpo Fontes – Joerberth Pinto Nunes – Kl

Publicado o livro “Direito Penal sob a perspectiva da investigação criminal tecnológica”

POR QUE COMPRAR O LIVRO: DIREITO PENAL SOB A PERSPECTIVA DA INVESTIGAÇÃO CRIMINAL TECNOLÓGICA? O mundo fenomênico sofre, constantemente, influência da tecnologia em sua evolução e no seu aperfeiçoamento. Logo, esse fenômeno repercute, também, no âmbito criminal, visto que os delitos atuais contam com um componente que evolui a cada minuto, qual seja, o tecnológico (informático, inclusive). Assim, os conceitos de vestígio e o de corpo de delito ampliaram-se. Tal fato exige dos investigadores preparação e atualização constantes, visto que o criminoso, no atual estágio, pode voltar ao local do crime até mesmo virtualmente para prejudicar a obtenção de sinais que, em geral, não são mais observáveis de plano ou percebidos materialmente, no sentido tradicional. Trata-se de um desafio e a forma de enfrentá-lo tem na capacitação o suporte necessário. Para tanto, a presente obra, coordenada pelo jovem e competente Delegado de Polícia Higor Vinicius Nogueira Jorge, viabiliza a obte